sexta-feira, novembro 24, 2006

O striptease ideológico de Richard Stallman, o rei do software livre, começou!

Álvaro Polati escreve, em 24/11/06, para a seção de cartas do MSM:

Recomendo a leitura desta entrevista com Richard Stallman, líder da Free Software Foundation. Ele é um defensor do software livre; e contra: o software proprietário, a Microsoft, as grandes corporações, o copyright, e as patentes... Richard Stallman é comparado a Che Guevara pelo próprio sítio que publicou a entrevista.Vejam esta jóia: "O desenvolvedor de um software proprietário é como um rei absolutista, como Bush quer ser. O presidente George W. Bush trabalha para as grandes multinacionais. A grande semelhança dele com a Microsoft é que ambos não acreditam que você deva ter liberdade." (Richard Stallman, guru do SW livre). Agora, porque envolver Bush nesta questão? Pura ideologização? Óbvio que existem iniciativas que parecem mais moderadas, inclusive criticadas pelo libertário e estrambótico guru. Mas quanto ao software livre, leiam, tirem suas conclusões e descubram de que lado "eles" estão...LINK: http://www.baguete.com.br/entrevista.php?id=125 "

Escrevi e já enviei um artigo para o MSM sobre esse sujeito. Ele ainda não foi publicado. Lá eu mostro o que pensa esse gênio. Depois de vê-lo nu, os defensores do software livre terão duas opções: ou se declaram ignorantes ou comunistas. Tertium non datur.

6 comentários:

Anônimo disse...

Também, com a multidão de admiradores que vieram ao FISL bajular e quase que fazer sexo oral no Sr Stallman, o cara deve ter tido o melhor momento da vida dele em Porto Alegre.

Marcos Ludwig disse...

detalhe curioso: segundo testemunhas que conheço, essa pessoa considerada por muitos "guru" cheira mal. não é chegado em banho diário, pelo jeito.

Pedro disse...

Já vi nas cartas ao MSM e sei que muita gente deve comentar por aí a política de conquista de mercado da microsoft: o temível dumping , que pôs fim às outras pobres empresas, as quais terminaram falindo ou nos tribunais exigindo a retirada do Internet Explorer e outros componentes do Windows do Windows. Mas é claro: investir num produto para que ele seja competitivo é coisa de multinacional, é apoiar o malvado Bush. Assim, fazendo um sistema para o consumidor e não para geeks arrogantes, o também malvado Gates ganhou milhões. Mas argumentam os Pinguins de Che: "as novas versões do Windows são muito mais caras! o Bill Gato vendeu as antigas barato,ganhou consumidores, e agora o linux não pode se popularizar!" Nossa, que tristeza. Devem achar que fazer um sistema com transparências, visual interativo,troca de contas de usuário,armazenamento de dados com metabusca seja tão descomplicado e precise de tão pouco investimento quanto um outro que tem janelinhas cinza onde você joga paciência. A propósito, vi na Folha de São Paulo uma noticia maravilhosa de defesa do linux, falando que as 'listas de hardwares que podem ser usados' acabarão, porque ele vai se popularizar. Como? Ah...É só ver nos sites dos distribuidores, como eles falam em 'políticas públicas'...Já viram, né? O lindo governo brasileiro vai financiar o computador do Leviatã.
Também vi, acho que nesse blog mesmo, argumentos de que a microsoft é pró-esquerda.Tudo bem que ela é quem patrocina a Slate, revista esquerdista americana. Mas será que quem diz isso não percebe que o dono da Slate é preferível a uma corja de comunistas que desrespeitam a propriedade intelectual de programadores e apelam ao Estado para divulgar seu sistema e sustentá-lo, segundo consta no programa do Manifesto?

Desculpe pelo comentário longo, mas imagino que isso deve ser dito a quem acha que tem 'pensamento crítico' em relação ao malvado Gates.

Anônimo disse...

alguém por aí tem inveja do Stallman e só sabe pensar em binário: Ou você comunista ou não é comunista.

Sinceramente, vai procurar aprender um pouco mais para ensinar teus alunos.

Ou será que não existe mais nada para aprender?

Antonio Emilio Angueth de Araujo disse...

Como assim? É possível ser comunista e não ser comunista ao mesmo tempo?

Revogaram o princípio do terceiro excluído da lógica e não me contaram.

Pedro disse...

Calma, professor, esse anônimo é um marxista dialético, ou algum 'intelectual' que 'superou a lógica linear'. Deve querer que o senhor ensine Hegel.