quinta-feira, janeiro 22, 2015

A Queda e a Cruz: uma verdadeira aula do saudoso prof. Orlando Fedeli.

O significado da Cruz de Nosso Senhor, que todos temos de carregar, é magistralmente explicado pelo saudoso prof. Orlando, a quem devo tanto do que tenho agora. O link do texto é este.


Quanto falta o professor nos faz! Que Deus o tenha entre seus mais diletos filhos.

quarta-feira, dezembro 24, 2014

Mensagem de Natal de 2014: o centro do catolicismo.

Quero falar hoje sobre o centro do catolicismo, em torno do qual todo o resto gira e ganha sentido. Todas as Festas de Nosso Senhor, ao longo do ano, giram em torno deste centro e a vida de todo o católico deve, por necessidade máxima, sempre estar centrada neste ponto. Todos os santos escreveram sobre tal ponto central. Todos os apóstolos pregaram esta verdade fundamental. Toda a salvação de qualquer alma só se dará em função de sua aderência a esta verdade fundamental. Toda a doutrina da Igreja e todos os seus rituais só existem para nos lembrar disso.

Nada mais natural que quando comemoramos o Nascimento de Nosso Senhor, lembremos deste grande Segredo, divulgado nos quatro cantos do mundo, pela Igreja de Cristo. Este ponto, este centro, este Segredo, é a Opera Omnia do Verbo encarnado, pelo qual Ele veio ao mundo. Todos os fatos de Sua Vida, que nos dá a verdadeira vida, foram apenas a preparação para sua Grande Obra.

Essa Grande Obra só ficou clara, inclusive para os apóstolos, na Sua conclusão. E essa obra é obviamente sua Paixão e Morte na Cruz; sem isso, nada que Ele fez tem sentido. Sem isso, nenhuma vida tem sentido. Sem isso, nenhuma religiosidade tem a mais mínima aparência de catolicismo. Sem a Cruz, nenhuma vida merece ser vivida. Sem a Cruz, o Natal não passa de uma festa pagã.

A Cruz nos lembra a Queda e nos lembra nossa situação atual, de revolta dos sentidos contra as potências superiores da alma. Lembra-nos que nossa felicidade não é deste mundo, cujo príncipe é o demônio. Só podemos ser católicos aos pés da Cruz. Isso significa, em outras palavras, que nossa vida de católicos só encontra sua plenitude aos pés da Cruz, não só contemplando a Cruz de Nosso Senhor, mas sofrendo com as nossas, que por misericórdia d’Ele, são muito mais leves.

Que todos nós possamos comemorar esta Festa de Nosso Senhor aos pés de sua Cruz, carregando pacientemente as nossas e sabendo que a felicidade a que aspiramos não tem proporção com os sofrimentos a que estamos submetidos.


Um santo e feliz Natal a todos os leitores do blog.

domingo, dezembro 21, 2014

Declaração inicial de Whittaker Chambers, em 1938, perante a Comissão Parlamentar de Atividades Anti-americanas

Whittaker Chambers, tendo sido um ex-comunista, membro do Partido Comunista americano, e também membro de vários aparelhos secretos da estrutura comunista em várias cidades dos EUA, começa em 1 de agosto de 1948, perante a House Committee on Un-American Activities, lendo uma declaração que impressiona pela clareza, honestidade e coragem. Ela está em seu livro Witness, ao qual já me referi num post do blog. Abaixo, vocês lerão a declaração e poderão entender uma afirmação antiga de Olavo de Carvalho que diz, cito de memória, que para se avaliar se um ex-comunista deixou mesmo de ser comunista, deve-se procurar saber se ele não só fez um mea culpa, mas se sua vida está direcionada a desmascarar esse câncer social e político moderno. Whittaker Chambers realmente deixou de ser comunista no momento mesmo que decide deixar o Partido.

_____________________________

“Há quase nove anos – ou seja, dois dias depois que Hitler e Stalin assinaram seu pacto – fui a Washington e relatei às autoridades o que sabia sobre a infiltração do Governo dos Estados Unidos por comunistas. Por anos, o comunismo internacional, do qual o Partido Comunista dos EUA é parte integrante, estivera num estado de guerra não declarada com esta República. Com o pacto Hitler-Stalin essa guerra atingia um novo estágio. Considero minha ação de procurar o Governo como um simples ato de guerra, como o tiro contra um inimigo armado num combate.

“Naqule momento da história, eu era um dos poucos homens deste lado da batalha que poderia fazer esse serviço. Ingressara no Partido Comunista em 1924. Ninguém me recrutou. Tornara-me convencido de que a sociedade em que vivemos, a Civilização Ocidental, chegara a uma crise, da qual a I Grande Guerra era a expressão militar, e que ela estava fadada ao colapso ou a se reverter ao barbarismo. Não entendia as causas da crise ou sabia o que fazer a respeito. Mas sentia que, como um homem inteligente, devia fazer alguma coisa. Nos escritos de Karl Marx, pensei ter encontrado a explicação das causas históricas e econômicas [da crise]. Nos escritos de Lenin, pensei ter encontrado a resposta para a questão: o que fazer?

“Em 1937, repudiei as doutrinas de Marx e as táticas de Lenin. A experiências e os registros históricos me convenceram que o Comunismo é uma forma de totalitarismo, que seu triunfo significa a escravidão para os homens, onde quer que sucumbam ao seu domínio e passem a viver sob a noite espiritual da mente e da alma. Resolvi romper com o Partido Comunista sob qualquer risco à minha vida ou outra tragédia pessoal ou familiar. Mesmo assim, tão forte é a influência que o mal insidioso do comunismo exerce sobre seus discípulos, que fui capaz de dizer a alguém, naquele momento: ‘Sei que estou trocando o lado vitorioso pelo perdedor, mas é melhor morrer no lado perdedor do que viver sob o comunismo’.

“Por um ano, vivi escondendo-me, dormindo de dia e à espreita à noite, com uma arma ou revolver sempre ao alcance. Isso era o que o aparelho secreto comunista fazia com um homem, no pacífico EUA, no ano de 1938.

“Tinha sólidas razões em supor que os comunistas poderiam tentar me matar. Por anos, servi ao partido em aparelhos secretos, principalmente em Washington. O coração de meu relato ao governo americano consistia na descrição do aparelho ao qual fui fixado. Era uma organização secreta do Partido Comunista dos Estados Unidos criado, tanto quanto sei, por Harold Ware, um dos filhos de uma líder comunista conhecida como Mãe Bloor. Conheci o alto comando do aparelho, um grupo de sete homens, alguns dos quais, em anos posteriores, foram aparentemente recrutados pela organização da Srta. Bentley. O chefe do grupo secreto naquela época era Nathan Witt, um advogado do National Labor Relation Board [Comissão Nacional de Relações do Trabalho]. Mais tarde, John Abt se tornou o líder. Lee Pressman era também um membro do grupo, como também Alger Hiss, que, como um membro do Departamento de Estado, organizou posteriormente as conferências em Dumbarton Oaks, São Francisco e o lado americano da Conferência de Yalta.

“O propósito desse grupo, naquele tempo, não era prioritariamente espionagem. Seu propósito original era a infiltração comunista no governo americano. Mas espionagem era certamente um dos seus eventuais objetivos. Que ninguém se surpreenda com esta afirmação. Deslealdade é uma questão de princípio para cada membro do Partido Comunista. O Partido Comunista existe para o específico propósito de derrubar o governo, no tempo oportuno, por quaisquer e por todos os meios; e cada um dos seus membros, pelo fato de ser membro, está dedicado a esse propósito.

“Faz dez anos que rompi com o Partido Comunista. Durante essa década, procurei viver uma vida produtiva e temente a Deus. Ao mesmo tempo, lutei contra o comunismo constantemente por atos e pela palavra escrita. Estou orgulhoso de depor perante esta Comissão. A publicidade, inseparável de tal testemunho, tem dificultado e, sem dúvida, dificultará meu esforço para integrar-me à comunidade dos homens livres. Mas este é um pequeno preço a pagar se meu depoimento ajudar a fazer os americanos reconhecerem finalmente que estão ás voltas com uma força secreta, sinistra e enormemente poderosa cujo propósito incansável é sua escravização.


“Ao mesmo tempo, gostaria publicamente de convocar todos os ex-comunistas que ainda não se revelaram, e todos os homens do Partido Comunista cujos melhores instintos ainda não foram corrompidos e esmagados, a auxiliarem na luta, enquanto ainda houver tempo.”

quarta-feira, dezembro 17, 2014

A culpa agora é da frutose: um exemplo de como agem os anti-tudo espalhados por aí.

Comentei, num post recente, acerca dos cientificistas modernos, aquela espécia asquerosa de cientista que usa a ciência para cumprir uma agenda ideológica, filosófica e religiosa; para destruir, enfim, a Civilização Ocidental.

Aos que se surpreenderam em saber que essa gente age à luz do dia, nos mais prestigiosos periódicos científicos do mundo, dou um exemplo recentíssimo (exemplos como esse abundam!). A Veja On Line publica um artigo, sobre um estudo publicado no Journal of Physiology, uma respeitável publicação, acerca do efeito da frutose sobre o mecanismo da fome. O assunto em si é relevante e o estudo envolveu 24 indivíduos (apenas isso) de 16 a 24 anos (apenas nessa faixa de idade), e consta de imagens de ressonância magnética do cérebro dos indivíduos e do registro das impressões dos mesmo sobre a sensação de fome (não li o artigo científico). 

O interessante é o que vem ao final do artigo da Veja, como sendo uma espécie de resumo do estudo: 

Consumir altas quantias de frutose diariamente pode prejudicar o aprendizado e a memória. É o que indica uma pesquisa publicada recentemente no periódico Journal of Physiology. No estudo, conduzido por uma equipe da Universidade da Califórnia, ratos que ingeriram xarope de milho rico em frutose (encontrada em produtos industrializados, como refrigerantes, condimentos e comidas de bebê) tiveram prejuízo na memória e queda no número de sinapses cerebrais. Essa queda nas sinapses acabou por deixar o cérebro mais lento. A boa notícia é que a ingestão de alimentos com ácidos graxos ômega-3 protege contra os danos causados pelo açúcar. 

Viram aí que um estudo cuja amplitude de indivíduos pesquisados é de 24 pessoas, de 16 a 24 anos, que deram impressões sobre fome, pode fundamentar um ataque frontal aos "produtos industrializados, como refrigerantes, condimentos e comidas de bebê" e ainda um elogio rasgado a  ingestão de alimentos com ácidos graxos ômega-3 protege contra os danos causados pelo açúcar. Não seria o caso de sugerir baixa ingestão de frutas? Porque atacar só os produtos industriais?

Isso é cientificismo, não ciência. Isso é ciência a serviço de uma agenda de dominação das mentes. Se surgir uma lei que proíba a frutose de ser usada em alimentos industriais, será baseada neste e em outras impressões trasvestidas de ciência, não se surpreendam. Não se surpreendam também se o Dr. Dráuzio começar a falar sobre isso por aí.

Aos anti-colesterol, anti-fumo, anti-gordura trans (sei lá!), anti-glicose, anti-calorias, se juntam agora os anti-frutose, mas só a dos produtos industrializados, não a que existe nas frutas. 

sábado, dezembro 13, 2014

A Ciência e a Veja: o que a revista não diz.

A revista Veja publica, em sua edição 2043, de 10 de dezembro de 2014, uma reportagem especial intitulada Artigos de Segunda, denunciando a proliferação de revistas científicas de aluguel, aquelas em que basta pagar para se publicar qualquer asneira travestida de ciência. Vale a pena ler para se ter uma ideia de como se constroem curricula vitarum na academia moderna. Mas penso que a revista perdeu uma boa oportunidade para analisar um fenômeno muito mais importante e influente, de proporções muito maiores e cujo objetivo é muito mais geral do que construir reputações pessoais de pigmeus acadêmicos.

O tom da reportagem é de que as besteiras são publicadas porque tais periódicos ditos científicos não seguem o dogma do peer review (a revisão dos artigos a serem publicados por pares, ou seja, cientistas de renome que aprovam ou não a publicação). Quem trabalha na academia, ou quem estuda um pouco o assunto, sabe que o peer review tem uma eficácia muito limitada. Sabe também que este procedimento está sendo usado por um batalhão de canalhas e mal-intencionados com objetivos muito específicos para mudar a mentalidade do mundo. Sabe que a ciência foi sequestrada (para usar uma expressão que aparece numa edição especial da revista Whistleblower, Hijacking Science: from global warming to biology to psychology to sociology, blatant corruption of Science is running rampant). Já comentei aqui sobre um dos artigos da revista, acerca da teoria da evolução. Note que o artigo em pauta só cita cientistas de renome; um dos citados é nada menos que o neto de Thomas Huxley (colega de Darwin), Sir Julian Huxley, ex-presidente da UNESCO.

Não, alguns dos grandes cientistas usam as publicações de renome para difundir suas mentiras científicas com o objetivo simples de mudar as mentes de todas as pessoas, de promoverem a transformação do mundo, da realidade, bem ao estilo “um outro mundo é possível”. Não, seus artigos não são publicados em revistas de segunda, são publicados nas mais prestigiosas revistas do mundo. Sim, eles publicam mentiras travestidas de verdades científicas.

Antes de sugerir uma bibliografia a ser lida para quem quiser ter uma pálida ideia da conspiração científica que abate sobre nós, vou dar um simples exemplo, usando o artigo de Veja. Lemos ali que num artigo publicado numa tal de Pure and Applied Mathematics Journal, que cobra de US$90 a US$ 370 por artigo publicado, intitulado: “O processo contra o dogma educacional matemático (o valor matemático preciso de Pi na equação finita = 3,14159292035)”, o autor afirma ter chegado a um valor finito para o número Pi. O trecho significativo do artigo é: “o valor aceitável de pi é por dogma e tradição e não está correto, exceto por dogma, e não tem uma derivação matemática pura. Palavras como transcendental são um dogma e matemática aproximada”. Pois bem, num artigo completamente nonsense ("Transgressing the Boundaries - Toward a Transformative Hermeneutics of Quantum Gravity," Social Text 46/47, 217-252 (1996).), o físico Alan Sokal, para provar exatamente que grandes publicações engolem qualquer coisa, afirma propositalmente diversas asneiras científicas, dentre as quais uma que lembra a citada pela Veja: “the pi of Euclid and the G of Newton, formerly thought to be constant and universal, are now perceived in their ineluctable historicity.” [o pi de Euclides e o G de Newton, anteriormente considerados constantes universais, são agora percebidos em sua inelutável historicidade]. Bem, a falsidade desta e de outras afirmações constantes do artigo foi denunciada pelo próprio Sokal e toda a controvérsia mundial que causou fez com que o físico escrevesse um livro, que foi traduzido para o português, intitulado Imposturas Intelectuais.

Mas outras imposturas intelectuais muito mais deletérias são publicadas regularmente, sobre os mais variados assuntos, em revistas de nome inquestionável. Lembremos do escândalo do aquecimento global, onde renomados cientistas combinavam como enganar periódicos renomados, e nós, o distinto público, sobre a mentira de que a temperatura do planeta estava subindo por causa das atividades industriais do mundo. Lembremos da mentira que virou lei mundo afora, sobre os fumantes passivos, endossada pelos maiores cientistas do mundo. Lembremos da mentira da tal teoria da evolução, com seu elo perdido que, por sinal, continua perdido, como não cansava de nos lembrar Chesterton.

Algumas fontes bibliográficas revelam isso e muito mais sobre as mentiras hoje regularmente tidas como verdades, baseado simplesmente no renome do periódico onde a tal mentira foi publicada. Vários posts do blog tratam desse assunto. Leiam por exemplo: Evolucionismo: sugestão de bibliografia que desmonta o dogma.;


Sobre as mentiras acerca do ato de fumar (e de comer) e dos fumantes passivos há duas fontes imprescindíveis: o blog de Christopher Snowdon, Velvet Glove and Iron Fist, e o site do Forces.org.

Fiquem sabendo, caros leitores, o peer review não é garantia de qualidade da publicação de artigos científicos, nem tampouco o renome do periódico. Tal processo já foi, há muito tempo, corrompido pela canalhada que objetiva mudar o mundo e esconder a realidade das coisas.


quinta-feira, dezembro 11, 2014

Dia da festa da Imaculada Conceição, Dilma publica a lei do macarrão!

No dia da Imaculada Conceição é editado a importantíssima lei 13050, que resolverá todos os problemas nacionais. Lembremos que foi Nossa Senhora que nos advertiu dos males do comunismo se espalhando pelo mundo.

dia do macaaraa

segunda-feira, dezembro 01, 2014

Missa Tridentina do IBP em BH no próximo sábado.

Está confirmada a Missa Tridentina na Igreja Nossa Senhora das Graças e da Medalha Milagrosa** no primeiro sábado de dezembro, dia 06, às 15 horas.

Celebrante: Padre Luiz Fernando Karps Pasquotto

Após a Missa haverá uma palestra* sobre o congresso Summorum Pontificum ocorrido no Vaticano em meados de novembro onde esse sacerdote esteve presente. Após a palestra haverá atendimento a confissão.


A Missa do primeiro sábado de cada mês visa a devoção ao Imaculado Coração de Maria
"A Magnifica Promessa dos Cinco Primeiros Sábados"


** Endereço da Igreja Nossa Senhora das Graças:
Endereço: Rua Jequiriça, 54 - Concórdia Cidade: BELO HORIZONTE
CEP: 31110-840 Telefone: (31)3442-2315 - Fax: (31)3442-2315