segunda-feira, novembro 20, 2006

Cartas III - ao meu e-mail pessoal

Tenho de, mais uma vez, omitir o endereço eletrônico de meus furiosos correspondentes, para poupá-los do vexame. Gente, será que esse pessoal que se diz entendedor de software entende de mais alguma coisa?



----- Original Message -----
From: Felipe
To: araujo@cpdee.ufmg.br
Sent: Monday, November 20, 2006 11:36 AM
Subject: 16/11 - Software livre: de graça?

Prezado senhor,

Com relação ao seu artigo: “Software livre: de graça?”, gostaria de ressaltar alguns equívocos de sua parte:
O Linux nunca teve a intenção de fazer competição com o Windows. São sistemas operacionais diferentes, com finalidades diferentes. As distribuições Linux são uma opção ao sistema Windows e por essa razão têm muitas diferenças quanto ao sistema proprietário.

O software livre não tem a pretensão de ser algo gratuito. Somente a ferramenta é gratuita, você a utiliza como quiser. O que a Microsoft faz com o Windows é vender uma ferramenta a um preço exorbitante, uma vez que eles têm o monopólio sobre ela.

“Time is money” é um paradigma de pelo menos duas décadas atrás. Hoje em dia, voe tem de gastar tempo simplesmente aprendendo, ou fazendo cursos. O custo disso é muito menor, comparado com os cursos e o tempo que se perde aprendendo o sistema proprietário.

Pagar pelos aplicativos é uma prática comum para pessoas que utilizam o Windows. Todos os aplicativos do Windows são pagos, e o preço deles é geralmente superior a qualquer aplicativo livre. Recomendo que você tente ler algo sobre Synaptic e Debian. A maior parte dos aplicativos para Linux são também livres e gratuitos.

No mais, peço que você tente ler e se informar um pouco mais antes de escrever um artigo, pois a maior parte do que está escrito são informações vazias e errôneas.

Felipe Alves Dias


MINHA RESPOSTA


----- Original Message -----
From: Antônio Araújo
To: Felipe
Sent: Monday, November 20, 2006 11:11 AM
Subject: Re: 16/11 - Software livre: de graça?

Sr. Felipe,

Vamos por partes.

O sr. tem de definir a idéia que o sr. quer defender. Ou bem o "Linux nunca teve a intenção de fazer competição com o Windows", ou bem "As distribuições Linux são uma opção ao sistema Windows". As duas coisas se contradizem, o sr. percebe?

Obrigado pela informação de que "time is money" está ultrapassado. Eu sequer sabia que a expressão era um paradigma de duas décadas atrás. O sr. tem certeza de que sabe o que significa "paradigma"?

O sr. sugere que eu me informe um pouco mais antes de escrever um artigo. Infelizmente, eu não posso devolver a sugestão, pois, não basta ao sr. um pouco mais de informação. O sr. tem de voltar ao primário e aprender tudo de novo.

Antônio Emílio.




----- Original Message -----
From: Magda Maia de Souza Lima
To: araujo@cpdee.ufmg.br
Sent: Monday, November 20, 2006 10:13 AM
Subject: Software livre: de graça?

Caro Sr,

foi com surpresa que li http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=5371&language=pt

uma pessoa com a sua escolaridade e com toda certeza conhecedor de estudos de TCO e TCU
e com toda certeza sabendo que no extra hipermecados encontra-se o Windows XP Professional por R$ 799,00

com toda certeza não escreveu aquela matéria

favor verificar o link porque alguém está achincalhando seu nome

e por favor, se não for incômodo e eu estiver tão enganada assim, ilumine a minha vida e envie uns links para eu aprender mais com o Sr.

Agradeço de coração, porque devo estar bobeando muito. Gosto não se discute mas análise é análise.

[]s Mag
BH-MG


MINHA RESPOSTA


----- Original Message -----
From: Antônio Araújo
To: Magda Maia de Souza Lima
Sent: Monday, November 20, 2006 11:30 AMSubject: Re: Software livre: de graça?

Sra. Magda,

Que delicadeza seu e-mail!. É exatamente o que eu esperava de uma pessoa que não conheço, a quem nunca dirigi a palavra, de quem nunca falei nem bem nem mal.

Se a única coisa que a sra. entendeu de meu artigo foi o preço da versão do Windows, a sra. é uma analfabeta. E veja que isso não é uma ofensa, apenas uma descrição da realidade.

Atenciosamente,

Antônio Emílio.

6 comentários:

Anônimo disse...

Puts...

Boçalidade pouca é bobagem.

O sr. aprendeu a ser grosso assim depois de se tornar Doutor ou essa é uma característica inata?

Estou admirado.

Parabéns e coitados dos seus alunos.

Antonio Emilio Angueth de Araujo disse...

Uma dama anônima, muito educada visitou o blog e ficou horrorizada com o que viu. Não sabendo do que se tratava, pois, não tinha capacidade de entender nada, deixou um bilhetinho simpático.

E, claro, muito corajosa,se preocupou em não se identificar.

Luís disse...

Eu quero lhe perguntar duas coisas:

1) O senhor realmente sabe o que é software livre? Aliás, o senhor sabe o que é ser livre?

2) Por favor, me diga aonde eu encontro esse Windows maravilhoso que o senhor cita no seu "artigo" onde por apenas R$ 400,00 compra-se o sistema COMPLETO, FUNCIONAL, onde eu poderei tranquilamente e simplesmente instalar e já sair operando!

Sinceramente eu não consegui ver o milagre desse "WINDOWS". A não ser que seja um daqueles BUNDLES piratas onde se compra um DVD com todas as versões do windows + office + 5000 jogos de emuladores + um mouse genios de excelente qualidade...

Olha, vou lhe dar um conselho: se não tem nada de bom para escrever - ou melhor - se não tem conhecimento suficiente para escrever um artigo decente e que esclareça qual o seu ponto de vista real sobre a situação, não escreva!
Não escreva porcarias como esta... Esse é aquele tipo de artigo que simplesmente não acrescenta!

Acho que perdi tempo demais aqui!

Bom, espero que o senhor tenha entendido!

Ahh, eu uso o Windows original aqui em meu notebook. Não tenho nada contra o sistema, mas confesso que só o utilizo por OBRIGAÇÃO, e muuuuito de vez em quando. Uso mesmo o Linux e o FreeBSD. Me sinto livre assim!

Antonio Emilio Angueth de Araujo disse...

Sr. Luis,

Eu sei o que é o fundamento do software livre e sei o que pensa seu guru, o Richard Stallman. Sei também o que o comunismo prega sobre liberdade.

O sr. me parece mais um daqueles analfabetos que não entendem o que lêem. Se o que o sr. entendeu de meu artigo foi só o preço do windows (que é realmente por volta de R$400,00) é lamentável. Eu não vou discutir o preço do windows com o sr., porque eu tenho mais o que fazer.

Pela forma com que o sr. se refere à palavra livre, basta que ela seja dita para que o sr. comece a salivar, qual cãozinho de Pavlov, sem se importar com o contexto e o significado específico.

Se o Linux faz o sr. se sentir livre, que o sr. fique com ele. Eu não tenho nada com isso. Mas, por favor, vá compartilhar sua ignorância em outras paragens!

Quanto ao seu conselho ..., bem, em respeito a outros leitores, eu não vou sugerir onde o sr. deve colocá-lo.

Luís disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.