terça-feira, maio 22, 2012

Dom Adriano, o construtor de certa igreja


Recebo notícias de Manoel Carlos, leitor que não cansa de instigar o blogueiro a fazer comentários sobre os bispos modernos e modernistas brasileiros. Agora, Dom Adriano, o bispo de Floresta (ou da floresta?), tomou posse da Prelazia de São Felix no Araguaia, aquela prelazia do vermelho Casaldáliga.

O povo de Floresta (ou da floresta?) diz, numa tal de “celebração do envio”: “E seguindo um projeto sócio educativo transformador, buscamos construir uma Igreja que se volta para a transformação de estruturas, favorecendo os menores para ganhar o pão de cada dia em Projetos de geração de renda, com dignidade e experiência qualitativas. Uma Igreja que enfrenta os poderosos dizendo não à Transposição, à Instalação de Usina Nuclear, conscientes de que a vida do povo é primazia para o Projeto de Jesus.

É preciso dizer que o povo de Floresta está construindo uma igreja deles, não de Cristo. A de Cristo foi erigida por Ele, Deus Encarnado, Verbo de Deus, Segunda Pessoa da Santíssima Trindade. Ele veio ao mundo para nos salvar, não para transformar estruturas; veio para nos salvar, apesar das estruturas. Ele veio numa época em que o Império Romano era A ESTRUTURA. Ele não falou nada contra o Império. Quando falou algo a respeito, disse: dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Quando à pobreza, disse que sempre a teríamos entre nós.

Uma coisa é certa: Ele enfrentou os poderosos; ah! isto Ele fez. Ele enfrentou os poderosos deste mundo e também o seu príncipe, o demônio. Ele enfrentou toda esta legião dizendo SIM ao amargo cálice da Paixão, dizendo SIM à vontade de Deus. Disse sim, na agonia no Jardim das Oliveiras, na sangrenta Flagelação, na Coroação de Espinhos, no Carregamento da Cruz e em Sua Crucificação. Foi assim que Ele enfrentou toda a legião dos inimigos de nossa salvação.

Diante disso, o que dizer de uma Igreja que enfrenta a Transposição, a instalação de usina nuclear, etc. Esta igreja é a igreja de Judas Escariotes, que esperava em Jesus um líder político que lutaria contra o jugo do Império Romano sobre Israel. E como Judas, o povo de Floresta está traindo Nosso Senhor, O está vendendo por 30 dinheiros; e o tal bispo Adriano deve estar muito feliz por ter um povo como este, que adora uma divindade rebaixada, que só vê os 30 dinheiros.

Agora ele vai para São Felix do Araguaia, alimentar essa estranha fé, que mais parece adoração demoníaca do que qualquer outra coisa. O povo de Floresta acena o adeus com estas palavras: “Vai, vai, missionário do Senhor, vai trabalhar na Messe com ardor. Cristo chegou para anunciar, não tenhas medo de evangelizar”. Mais preciso seria dizer: Vai, vai, companheiro de Marx, vai agitar as massas com furor. Karl chegou para proclamar, não tenhas medo de comunizar.

Este bispo tem origem nas famigeradas CEB’s, sobre as quais já escrevi aqui no blog alguns posts (aqui, aqui, e aqui, por exemplo) que talvez seja interessante ler.

Gostaria que o povo de Floresta lembrasse o fim trágico de Judas Escariotes e desistisse de lhe prestar culto. Que Deus, o verdadeiro Deus, abençoe a todos.

Um comentário:

Luiz Fernando disse...

Caro Angueth,

Que Deus e Nossa Senhora sempre guardem o nosso coração contra os poderes espirituais do mal que reinam neste mundo — e que tentam destruir a Fé Católica —, e contra a tentação de crermos que a vida cristã é mera adesão a causas políticas. Que Santo Agostinho de Hipona interceda por nós e nos ajude a contemplarmos, reverenciarmos e servirmos a Beleza Excelsa do Cristo que nos salva deste mundo para que não mais sejamos do mundo, ainda que nele vivamos.

Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, Servo Sofredor, tende piedade de nós!

Luiz Fernando de Andrada Pacheco