quarta-feira, dezembro 28, 2011

Ano novo, vida nova! Será?


Bem, para os católicos, o ano começa no primeiro domingo do Advento que, neste ano de 2011, caiu no dia 27 de novembro. O que se chama réveillon é festa tipicamente pagã e nada tem a ver com nossa Religião. No dia 1 de janeiro, estamos na oitava de Natal e comemoramos a Circuncisão de Nosso Senhor.

Mas para tentar tirar algo de bom da festa pagã, vou sugerir uma decisão de “final de ano”, para cumprirmos no ano civil de 2012, 2012 anos depois de Cristo, do nascimento de nosso grande Mediador perante Deus. Não será perder alguns quilinhos, ou fazer ginástica, ou tentar salvar a natureza, ou reciclar o lixo doméstico, ou economizar energia elétrica ou água para o bem do planeta, ou andar menos de carro para poluir menos o ar, ou ir mais ao teatro e ao cinema, ou fazer ioga, ou abraçar árvores e andar descalço, ou qualquer destas coisas com que a CNBB está sempre preocupada nas famigeradas campanhas da fraternidade, fraternidade que paradoxalmente parece existir sem a Paternidade.

Vamos lá! O fundamento de minha sugestão é uma insistência que me parece muito significativa de Nosso Senhor. Duas vezes no Evangelho, Jesus nos diz: Quem se prende à sua vida perdê-la-á; e quem perdê-la por causa de mim, acha-la-á (Mt 10,39); Porque quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por minha causa encontra-la-á (Mt 16, 25; Lc 9,24; Mc 8,35). Todas as palavras de Jesus são significativas, pois são fonte de Vida que não se acaba. Então, quando Ele repete algo, penso que devemos nos atentar para o fato: a coisa deve ser de fundamental e urgente importância.

E Jesus se expressa de uma maneira divinamente paradoxal: perder a vida para encontrá-la; desprezá-la para valorizá-la; entregá-la para recebê-la, despreocupar-se dela para tê-la em abundância. O estilo de Nosso Senhor é inconfundível e Seu mistério é muito mais claro que qualquer explicação humana. A Catena Aurea, composta pelo Doutor Comum, pelo Doutor Angélico, Santo Tomás de Aquino, nos diz o seguinte.

Chrisostomo: Por que você resiste em desprezar sua vida? Porque você a ama? Ora, por esta mesma razão você a deve desprezar, pois assim você lha prestará o mais elevado serviço.
Remigio: A vida, neste versículo, não é para ser entendida como substância, a alma, mas como o presente estado de ser; e o sentido é: aquele que encontrar sua vida, i.e., esta vida presente, aquele que tanto ama esta luz, suas alegrias e prazeres, a tal ponto de desejar sempre mantê-los, prepare sua alma para perdição eterna.
Rabano: Ao contrário, aquele que procura a vida eterna, não hesita em perder esta vida, isto é, oferecê-la à morte.

Minha decisão de “final de ano” que quero compartilhar e sugerir é esta: percamos nossa vida por causa d’Ele. Deixemo-nos guiar por Ele, tomemos nossa cruz e o sigamos. Que esta decisão sirva de reparação às inumeráveis ofensas que certamente serão dirigidas ao Imaculado Coração da Virgem Santíssima ou ao Sacratíssimo Coração de Nosso Senhor durante a festa pagã do réveillon de 2011-2012.

Que Nosso Senhor aceite nossas pobres vidas em troca da Vida que não se acaba!

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Professor, concordo com o que disse, porém peço que não deixe de se preocupar com sua saúde para que continue nos enriquecendo com seu blog nos próximos anos. Grande abraço e um Feliz Ano Novo!

Leonardo

Antonio Emilio Angueth de Araujo disse...

Caro Leonardo,

Deus lhe pague pela preocupação. Cuido bem de minha saúde. Isto é nossa obrigação perante Deus. Como é obrigação, não faço disto resolução de final de ano.

Abraço e feliz 2012.

Em JMJ.