sábado, fevereiro 22, 2014

Leitor pede conselhos.

Leitor escreve o seguinte comentário ao post Leitor insiste, blog explica.:
Sou um católico pouco praticante, mas que de um ano para cá estou me sentindo compelido a ser mais participativo para com a igreja, sobretudo depois da posse deste novo "papa". Mas estou em um estágio de semi-analfabetismo funcional do ponto de vista dos dogmas da nossa igreja, e estou tentando entender alguns pontos que me perturbam. O primeiro deles é a relação entre o capital e a igreja: O que os santos textos nos ensinam em relação ao capital? Por que o comunismo vai contra nossas ideologias? Até que ponto devo buscar um crescimento financeiro? Quando uma vontade de realizar um feito pessoal (uma viagem de lazer, adquirir um bem "melhor" do que o necessário) se torna perigosa? 
 
Vemos aqui justamente um católico sendo impelido na direção da Igreja justamente por causa da crise, por causa, na expressão do leitor, do novo papa, entre aspas. É o que eu falava no post em questão.
 
A você caro leitor tenho a dizer que o que te compele é graça de Deus. Responda a ela com obediência e presteza, pois desprezar a graça de Deus é um grave pecado.
 
Sobre as dúvidas quanto ao capital e ao comunismo, você talvez possa ler o marcador Economia e Catolicismo do blog. Ainda no blog, você pode ler um belo texto de São Francisco de Sales sobre o espírito de pobreza. Leia, se puder, todo o livro Filotéia. Você certamente aprenderá que o problema com o dinheiro não é tê-lo, mas deixar que ele nos domine. São Paulo recomenda a Timóteo o que ensinar a este respeito (1Tm 7-10; 17-19): (7) Nada trouxemos para o mundo e nada dele podemos levar. (8) Quando, porém, temos o que comer e o que vestir, com isso nos contentaremos. (9) Mas aqueles que querem enriquecer caem em tentações, em laços e em muitas cobiças insensatas e nocivas, que mergulham os homens na perdição e na ruína. (10) Com efeito a raiz de todos os males é a cobiça do dinheiro, na qual, espasmando, alguns desviaram-se da fé, atormentando-se com muitas aflições. (17) Aos ricos deste século recomenda que não sejam altivos, nem ponham a esperança em riquezas incertas, mas em Deus, que nos dá todas as coisas com abundância, para delas usarmos; (18) recomenda que pratiquem o bem, que se enriqueçam de boas obras, que sejam generosos, liberais, (19) acumulando assim um excelente capital para o futuro, para alcançarem a verdadeira vida.
 
Há ainda uma perspectiva diferente a esta questão. Esta perspectiva é a da devoção à Sagrada Humanidade de Nosso Senhor Jesus Cristo. Aqui, caro leitor, adentramos no ambiente do devocionário católico, naquele manancial inesgotável de delícias e consolações divinas. Pe. Faber, em texto sobre esta devoção, diz: O amor efetivo faz-nos ver a imagem viva de Jesus, representando em nossa própria vida os estados, mistério e virtudes da Sua. Trazemos exteriormente essa imagem pela contínua mortificação, diminuindo e apertando o conforto corporal, regulando os sentidos, derrubando as exigências extravagantes do mundo e da sociedade, pela ciosa moderação dos afetos e dos prazeres inocentes, e pela perpétua repressão de toda vaidade e arrogância. Nossa vida interior é conforme à de Jesus pela liberdade de espírito que significa o desapego das criaturas e a conformidade à sua vontade. Nossas ações exteriores trazem a estampa divina quando procedemos como se fôssemos membros seus, quando fazemos todas as ações em seu nome e segundo as suas inspirações.
 
Neste pequeno trecho, você encontrará temas para meditações infindáveis sobre como “apertar o conforto corporal”, “regular os sentidos”, “derrubar as exigências extravagantes do mundo e da sociedade”.
 
Algumas sugestões finais que dou a todo católico “não praticante” ou "pouco praticante":
1. Vá a Missa todos os domingos e dias de guarda; se possível, prefira a Missa Tridentina;
2. Confesse pelo menos uma vez por mês, ou quando cometer pecado mortal;
3. Comungue sempre que esteja em estado de graça;
4. Reze o Rosário (os três terços, não quatro!) de preferência, se não puder, reze o Terço todos os dias. Lembre-se, a devoção a Nossa Senhora não é opcional!
5. Leia a vida dos santos, diariamente, e reze pedindo sua intercessão.
 
Escreva-me quando quiser e que Nossa Senhora te ilumine!
 

4 comentários:

Prof. Francisco Castro disse...

Professor eu acrescentaria mais dois itens a lista.
6. Lia a Sagrada escritura, principalmente os santos evangelhos e as Cartas de são Paulo;
7)Pratique sempre as obras de misericórdia espirituais e temporais.
Quanto aos mistérios luminosos do terço eles nada têm contra a doutrina da Igreja. E não é preciso rezar 04 terços. Basta rezar as quintas feiras o terço começando pelos mistérios luminosos e continuando com os dolorosos e os gloriosos e assim ainda termos o Rosário constituído de três terços. Eles abrangem a vida publica de Jesus e são Evangelho de forma oral.

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Caro Prof. Francisco,

Obrigado por completar a lista. Sem dúvida, os dois itens acrescentados são muito importantes.

Os mistérios luminosos nada tem contra a doutrina da Igreja, porém não acho que devemos rezá-lo. Talvez o texto mais completo sobre isso seja o do Guilherme Chenta: Por que "não" aos "Mistérios Luminosos"?

Ad Iesum per Mariam.

Marcos Paulo disse...

Salva Maria, caro professor Angueth.
Há um reparo a se fazer no que escreve o vosso consulente:
"Por que o comunismo vai contra nossas ideologias?", escreve ele. Não há ideologias no catolicismo, não é mesmo? Em verdade, a SICAR é contra qualquer tipo de ideologia.
Marcos Paulo

Marcilio disse...

Caro professor:
Esse leitor precisa entender que, se a Igreja católica não fosse divina, hoje haveria dela hoje em dia apenas reminiscências históricas - Ah, aquela que o império Romano extinguiu, né? - ao máximo, mas apesar dos pesares, está firme e forte, menos os seus membros vacilantes, culpados pelas suas crises séculos afora + infestações de Satã, principalmente a partir de La Salette para cá, mais os outros prenúncios de N Senhora para os séculos IX e XX em andamento.
Apesar de acossada pelos muitos inimigos - internos, os piores - e o externos, como pelo relativismo protestante e outra religiões humanas etc., continua firme, ainda que numericamente esteja cada vez menor.
QUANTIDADE - que vergonha: o Brasil sendo governado por comunistas, por ex!
QUALIDADE: o que importa; confiram os católicos franceses com os daqui, lá arrochando o Hollande!
Não temais, ó pequeno rebanho, porque a vosso Pai agradou dar-vos o reino. Lc 12:32