terça-feira, março 12, 2013

Os amigos e os inimigos da Cruz

Seguem abaixo, dois trechos de obras diferentes, mas igualmente fundamentais, definindo quem são, de fato, os amigos e os inimigos da Cruz de Nosso Senhor (Amicos et inimicos Crucis Christi). Ouçamos com atenção e escolhamos já o nosso lado. Aproveitemos o resto de Quaresma para nos juntarmos aos amigos da Cruz. 
 
Os amigos da Cruz dizem continuamente: “Soframos, choremos, jejuemos, oremos, ocultemo-nos, humilhemo-nos, empobreçamo-nos, mortifiquemo-nos; porque o que não tem o espírito de Jesus Cristo, que é um espírito de cruz, não pertence a Ele; os que são de Jesus Cristo mortificaram a carne com as suas concupiscências; é preciso ser conforme a imagem de Jesus Cristo ou condenar-se. Coragem! exclamam eles. Coragem! Se Deus está por nós, quem estará contra nós? Aquele que está em nós é mais forte que o que está no mundo. O servo não é maior que o senhor. Um momento de leve tribulação redunda em peso eterno de glória. Há menos eleitos do que se pensa. Só os corajosos e os violentos arrebatam o céu de viva força; ninguém será lá coroado se não houver combatido legitimamente, segundo o Evangelho, e não segundo a moda. Combatamos, pois, vigorosamente, corramos depressa para atingir a meta, a fim de ganharmos a coroa!” (Carta Circular aos Amigos da Cruz, São Luiz Maria Grignion de Montfort, Editora Petrus, 2011.) 
 
Inimicos crucis Christi são esses cristãos efeminados que julgam coisa indispensável verem-se rodeados de todas as comodidades, cederem a todas as exigências do mundo, entregarem-se aos seus prazeres desordenados, seguirem apaixonadamente todas as suas modas, esses cristãos que se ofendem com estas palavras que já não compreendem mas que, sem embargo, Jesus Cristo disse para todos: Se não fizerdes penitência, todos perecereis da mesma maneira. A Cruz, segundo a expressão de São Paulo, tornou-se para eles um escândalo.” (A Alma de Todo Apostolado, Dom Jean-Baptiste Chautard, Serviço de Animação Eucarística Mariana, 2003.)

Nenhum comentário: