sexta-feira, outubro 21, 2011

50 anos de Vaticano II: cuidado com o motorista!

3 comentários:

Swytz Tavares disse...

Excelente representação, a insuficiência da caricatura é apontar um único eclesiástico e no banco do carona. inclusive falta o desenho do Santo PAPA no banco detrás amordaçado, assim ficaria inteiramente condizente com a realidade que ocorreu e foi informada por Nossa Senhora ao Pe. Gobbi do MSM. Quem se atualizou sobre os bastidores, os eclesiásticos MODERNISTAS é que aprotaram entre as palavras (documentos) do CV-II a hermeneutica das novas regras "revolucionárias", o tal Aggiornamento (repudiado por Pe. Pio de Pietrelcina) tão utilizado e repetido em italiano que acabamos decorando. O Santo PAPA, já prevendo nuvens negras (talvez as mesmas vistas por S.S. Paulo VI) futuras na igreja pra sua purificação, no Primeiro Concílio ou CV - I (1) declarou o "Dogma da Infabilidade Papal". Aí, a reação modernista contra-atacou 60 anos depois, de forma fulminante com colaboração massiva dos Bispos e Cardeais. O corpo precisa da cabeça (mais importante) pra pensar, mas não se move e nem executa nada sem a OBDIÊNCIA MARIANA dos membros (braços e pernas), daí a tão bem divinamente eleborada "Comunhão dos Santos", onde todos, até fiéis leigos são responsabilizados pelo corpo místico da Sancta Igreja. No meu caso, dispenso colaboração e dedicação total a aplicação do Motu Proprio Summorum Pontificum (que tenta ao menos fazer cumprir o LATIM na Missa Nova), cujas dificuldades de hoje = "sabotagens demoníacas com participação humana mais generalizada" que se assemelham aos bastidores silenciosos mas contaminados do CV-II. Só que desta vez, o conflito é mais geral ainda, é com toda a Sancta Igreja, pois definitivamente colocaram, as atitudes dos próprios fiéis em xeque. Os batedores de palmas e tocadores de rock liturgico que o digam. Definitivamente, a Sancta Igreja foi colocada em mais uma PURIFICAÇÃO. Rezemos pra que o Santo PAPA consiga trazer a Igreja de volta aos trilhos, pois, simlar as leis brasileras, normas há por demais no CV-II. O "NOVO pulo do gato" que o manquinho (vulgo satanás) desvendou é além da sabotagem internas (eclessiásticos e religiosos), atacar pelas bases ou seja, pelos fiéis. Que na aplicação do Motu Proprio à Missa na Forma Extraordinária, está dependendo unicamente da organização e ação dos fiéis, pra reverter a desacralização da Ighreja de Cristo. Espero estar colaborando devidamente com a Sancta Igreja, pois a provação já começou. Que Deus nos ajude !!!

Jorge Bento Monteiro disse...

Caríssimo Prof. Angueth: 1. A propósito dos fatos recentemente ocorridos na Líbia e as circunstâncias da morte de Muammar Gaddafi, tenho lido matérias de diversos jornalistas (um deles, aliás, em blog na "Veja", faz questão de ser reconhecido como Católico Ap. Romano), sempre demonstrando indignação com o verdadeiro "assassinato" que ocorreu. 2. Sou contra a barbárie, mas pondero: (a) se fosse capturado, mantido vivo e levado a julgamento (o que, pelas leis internacionais, deveria ter ocorrido), milhares ainda morreriam sob o signo do ditador b) o mesmo se daria se sepultado em lugar certo, a alimentar novas revoltas e a continuidade do genocídio. 3. Tudo isso, como oportunidade de respeitosamente indagar sobre a posição da Igreja Católica quanto à pena de morte. Li algumas referências (não sei se confiáveis) e encontrei afirmações de que a Igreja é a favor da pena de morte em situações excepcionalíssimas. É isso mesmo? Há alguma obra a ser indicada sobre o tema? 4. Agradeço se puder dar algum esclarecimento sobre esse assunto (muito debatido quando da Constituinte de 1988 e hoje não mais discutido em termos de Estado laico, pois consolidados os correspondentes dispositivos constitucionais em cláusulas pétreas). Fraternalmente, JBM

Antonio Emilio Angueth de Araujo disse...

Caro Jorge,
Salve Maria!

Sobre a pena de morte, veja aqui.

Em JMJ.