quinta-feira, setembro 21, 2017

O Olavo de Carvalho também apontou uma arma para mim. Só que ele atirou!

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Dizem por aí que uma filha do Olavo anda dizendo que ele apontou uma arma para ela, e outras coisas mais.

Para mim, ele apontou não uma, mas várias, durante anos, desde 1999. A primeira bala que me atingiu foi um livrinho sobre erística, que naquela época era palavrão para mim. Feriu-me profundamente; feriu minha enorme ignorância. Depois, esse atirador de elite, um verdadeiro snipper, me feriu com o Imbecil Coletivo. Como eu era professor universitário, me senti incluído no coletivo e me achei bastante imbecil. Meu amor próprio, a tal auto-estima, foi para o hospital. Outro petardo veio com o Jardim das Aflições, que me causou várias aflições. Com mais de quarenta anos e com dois filhos para criar, eu não podia ficar muito tempo no hospital e esperava que o Olavo tivesse pena e parasse de me atirar. Mas não. Ele continuava semanalmente com seus artigos em vários jornais nacionais e com vários livros: sobre o futuro da inteligência brasileira, sobre os quatro discursos de Aristóteles, etc. Tudo parecia se destruir frente a chuva de balas que me atingia. Esse cara é, na verdade, um exército em posição de ataque.

Como não conseguia sair do hospital, levei meus filhos para lá e eles começaram a levar balas. Com o tempo, com os cursos e os vários livros que lemos, descobrimos que estávamos no Brasil e não no hospital. A percepção do Brasil como hospital foi nossa maior descoberta. Descobrimos também que não havia médicos nesse hospital, exceto o Olavo. Aquelas balas, que sentíamos como balas, eram os remédios amargos que ele nos fazia tomar, para nos curar. 

Pouco a pouco, começamos a melhorar. Não saímos do hospital, pois ele é muito grande, mas agora tomamos as balas, ou melhor, os remédios, com gratidão, com afeto. Um dia, quem sabe, seremos também bons snippers.

Que Deus abençoe o grande Olavo!

4 comentários:

Gerson JNeves disse...

Aos poucos estamos sendo atingidos por esses petardos

Anônimo disse...

Essa chocarrisse está sendo bastante divulgada no blog PrometheuLiberto de um tal Velasco com sede em Portugal e que só existe para caluniar o Olavo de Carvalho.
O autor do blog é uma pessoa venal, um metidinho escroto e recalcado com o Olavo porque lhe falta altivez, competência e a influência que ele tem.
Olavo ajudou milhares de brasileiros a conhecer melhor a podridão esquerdume, enquanto ele fica do outro lado do mundo a se chafurdar na lama, a publicar parolagens.
Velasco prefere viver na sombra alheia ao invés de ter decência.
O ara faz bem o papel de Fausto.

Eduardo

Unknown disse...

Antes de entrar para o meu segundo curso universitário (história) tive contato com o mínimo (...), livro do Olavo, passei 4 anos acompanhando o autor, por vezes achava suas teorias radicais, mas lhe concedia o benefício da dúvida. Não me arrependo, nesses primeiros anos de faculdade posso atestar o baixo nível dos debates de lá, quando os "mestres" resolvem fazer pregação política, o que não é raro, é uma chuva de idéias rasas e pré formatadas, impostas como a suprema revelação da atualidade, pouco importa se é um aluno de esquerda adolescente ou um mestre, doutor, etc, a forma como costroem seus argumentos é a mesma, de um adolescente militante a um professor com doutorado não há evolução no pensamento, há apenas maior habilidade em fugir das nossas refutações (que os aniquilam) desses últimos. Obrigado professor, saúde e paz para o senhor e sua família.

Cláudia Faga disse...

Pensei que os Beatles tinham mudado minha vida, inspirando-me a aprender violão e inglês. Aí conheci o prof. Olavo. Soube então o que era, de fato, mudança de vida. Hoje não consigo ler uma bula de remédio sem procurar a paralaxe cognitiva, o horizonte de consciência do autor e o quanto o laboratório lucra com a redução, a cada ano, da taxa de colesterol no sangue para que o indivíduo seja considerado saudável.

Professor Olavo, é só porque você é grande, muito grande e influencia muito mais que os Beatles, que você recebe esse chumbo grosso, com a clara intenção de matar sua reputação. O desespero é tal porque eles sabem que não vão conseguir. Sou eternamente grata por tudo o que fez e faz na minha vida e na vida do meu marido. Aguenta firme! Um beijão.