sábado, julho 09, 2011

A Virgem Santíssima: a dúvida (?) de um leitor.

Wendy, um dos leitores mais assíduos do blog, colocou um comentário – não postado lá, mas comentado aqui – ao post Atenção: a devoção a Nossa Senhora não é opcional! Bastante curto foi o comentário: “Angueth, isso é tradicional ou bíblico?” Eis aí todo o espírito protestante! 

Ora, é bíblico que a Revelação não está toda na Bíblia; por isso, a importância da Tradição. Vemos isto em pelo menos três passagens do Novo Testamento. 

Muitas coisas, porém, há ainda, que fez Jesus, as quais se se escrevessem uma por uma, creio que nem no mundo todo poderiam caber os livros que delas se houvessem de escrever. (Jo XXI, 25)  

Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas vós não as podeis compreender agora. Quando vier, porém, o Espírito de verdade, ele vos guiará no caminho da verdade integral, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e anunciar-vos-á as coisas que estão para vir. (Jo XVI, 12-13) 

Na primeira narração, ó Teófilo, falei de todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar até o dia em que, tendo dado as suas instruções por meio do Espírito Santo, foi arrebatado ao céu; aos quais também se manifestou vivo, depois de suas paixão, com muitas provas, aparecendo-lhes por quarenta dias e falando do reino de Deus. (Atos I, 1-3) 

Agora, sobre ser Maria Santíssima a medianeira de TODAS AS GRAÇAS, isto também é bíblico, e obviamente tradicional. É bíblico primeiro por ela ser CHEIA DE GRAÇAS: Salve, ó cheia de graça, o Senhor é contigo (Lc 1, 28). Cheia de graças significa COM TODAS AS GRAÇAS, inclusive a de nos trazê-las, as poucas que recebemos, não por merecimento próprio, ao longo da vida. 

É bíblico porque por meio dela veio o primeiro milagre na ordem sobrenatural – a santificação de São João. É bíblico porque por meio dela veio o primeiro milagre na ordem natural – o vinho das bodas de Caná. Assim, por meio dela vêm todas as graças. 

Isto é tão simples de entender que só mesmo o espírito protestante pode evitar que o intelecto de alguém fique fechado a receber tal verdade. Este espírito, sendo anti-tomista é também anti-aristotélico, é ilógico, daí esta aparente contradição que um jovem tão interessado e inteligente em outras áreas, seja tão resistente à pura lógica neste que é um assunto simplesmente fundamental para esta vida e para outra vida. 

A devoção de Maria está na Tradição desde os primeiros Padres, mas este não é nosso assunto aqui. 

Sugiro ao Wendy, e a todos os leitores, a leitura de duas cartas respondidas pelo Prof. Orlando Fedeli a respeito de Maria; elas são extraordinárias: Imagens, ídolos, veneração, adoração e Virgem Maria, Mãe de Deus. Nelas me baseei para escrever este post.

42 comentários:

Guilherme disse...

Excelente!

Flavio disse...

Antonio,

Uma coisa que cuido em mim é não me perder num emaranhado de estudos,que acabe gerando em mim uma certa soberba intelectual,que me feche a obviedades tão claras como essa sobre Nossa Senhora que tu colocou neste post.E olha que eu sou um homem de poucas luzes em termos intelectuais.

Imagine o cuidado que tem que ter os bem dotados intelectualmente.

Não é a toa que Nosso Senhor disse que o reino dos céus é dos pobres de espirito.

Ao mesmo tempo esse post me fez pensar no absurdo,que clama aos céus,que é a diminuição que os protestantes fazem com Nossa Senhora.

Minhas orações para que o Wendy se converta e aceite o amor de tão grande mãe que Cristo nos deu aos pés da CRUZ.

Fiquem com Deus.

Flávio.

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos disse...

Muito bom!
Salve Maria Puríssima! Mãe de Meu Senhor!

Ana Maria Nunes disse...

N sei o pq herege frequenta blogue Católico!

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
wesleynfo disse...

Prezado Wendy, Salve Maria.

Você diz: "para que, só assim, eu compreendesse as Escrituras".

Obs: tantos compreenderam as escrituras de forma subjetiva, e é este o âmago do problema!

Logo abaixo você diz:

"mas eu não creio porque leio".

Interessante, pois o "creio" utilizado na frase é superficial(entende-se o crer em Deus somente), mas o problema é mais amplo.

Por exemplo:

Você crê na Santissima Trindade?

Isso não pode ser respondido por uma situação particular vivida por alguém.

As "dúvidas" levantadas aqui, não são dúvidas que se resolvem com uma experiência particular.

Por isso algumas de suas questões estão em sintonia com a Igreja e outras não, as que você provou particularmente, muitas delas estão dentro da doutrina, outras você não pode comprovar através de uma fé particular, então a quem cabe responder estas questões?

Poderiamos recorrer a vários "profetas" nos dias de hoje, mas qual deles é o digno de confiança?

Poderiamos recorrer a Biblia, mas ainda sim teriamos interpretações divergentes...

Se recorrermos a nós mesmos, tudo será permitido e nada que foi pregado poderá ser considerado verdade, pois, a verdade é una.

Então as principais perguntas são:

"Será que alguém guardou os ensinamentos de forma verdadeira"?

"Se alguém guardou, quem foi"?

Quem é Católico como eu tem a certeza que a Igreja é o depósito da fé, quem melhor guardou a fé foi ela. Isso pode ser verificado históricamente nos concílios, muitas das coisas que estão lá(que ainda talvez você nem chegou a estudar) tenho certeza que estão em concórdia com sua visão, mas o porque não aceitar as outras?

É fácil aceitar o que vai de encontro com nossas posições o difícil é nos mantermos firmes com ventos contrários.

Você citou uma interpretação de Santo Agostinho, eu cito a vida dele: ELE ERA CATÓLICO!

É comum criadores de doutrinas citarem Santos Católicos, o que para mim é uma deslealdade, é como pegar um pensamento seu e jogá-lo contra sua família afim de separá-la. Em todo caso, este é um modo próprio de pensar, não posso obrigá-lo a seguir...

Jesus a única vez, nós evangelhos, que escreveu algo para nós, foi no chão e se apagou, porque as escrituras não são capazes de explicar as escrituras, muitos menos todos os assuntos debatidos aqui, então, Eu acredito no testemunho dos que estavam lá(quer me agrade ou não), e nos testemunhos dos seguintes que pode ser verificado na história.

Eu gostaria, se possível que me respondesse as questões:

"Será que alguém guardou os ensinamentos de forma verdadeira"?

"Se alguém guardou, quem foi"?

Em Cristo, Paz e Bem!

wesleynfo disse...

Então... Se eu disser que não creio na divinização de Maria, que debate teríamos?

Divinização????????????????????

Para o bonde q eu quero descer...
Onde, Wendy, esta isso na doutrina da Igreja?

Use os termos corretos!!!! Aqui se faz necessário para evitar erros.

Ferdinand disse...

Vocês que comentam, inclusive o autor do blog, perdem tempo tentando explicar essas coisas para um protestante. É nosso dever evangelizar, mas existem limites como a citação das pérolas aos porcos bem o demonstra. Devemos rezar pelos hereges, judeus e cismáticos, para que Deus amoleça seus corações e eles possam enxergar; o resto fica com a graça de Deus.

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
De volta a Tradição Católica. disse...

Angueth, isso é tradicional ou bíblico?” Eis aí todo o espírito protestante!

Manfredo disse...

Caro Wendy,

Voce diz:
"Eu creio no Pai, no Filho e no Espírito Santo e se por isso você entende “santíssima Trindade,” então pode crer que eu creio."

Mas não é verdade que a divindade do Espírito Santo foi definida como dogma de fé somente no séc. IV, em concílio católico?

Gustavo disse...

Prezado Wendy,
Salve Maria Santíssima,
Mãe do Meu Senhor!!!!

" Foi necessário que Cristo SE REVELASSE a mim, um mero pecador, através de situações dolorosas como o divórcio de meus pais, abalos financeiros, a prisão de meu pai e outras tribulações, para que, só assim, eu compreendesse as Escrituras. Sendo assim (e acho que já te disse), pode ser que lendo a Bíblia, eu creia; mas eu não creio porque leio. Houve, na minha vida, mais que mera conversão racional."

Embora a conversão seja uma decisão dependente da vontade, ela só é Verdadeira quando o bem desejado for conhecido RACIONALMENTE pela inteligência a saber: Fé Verdadeira.

Sobre a Fé diz São Paulo:

"Sem Fé é impossível agradar a Deus" (Heb. 11,6).

"Tudo aquilo que não procede da Fé, é pecado" (Rom. 14, 23).

E ordenou a Tito que repreendesse duramente os que se afastavam da Fé:

"Repreende-os duramente a fim de que sejam SÃOS na Fé" (Tito I, 13).

Por essas três passagens, nota-se que a Fé que agrada a Deus tem que ser a Verdadeira. E esta Fé Verdadeira é UMA só que Nosso Senhor transmitiu aos apóstolos e sucessores legítimos.
Esta Fé está sob a guarda de Sua Única Esposa, pois que Cristo não fez e nem faz "rodízio" entre Sua Esposa e concubinas. Ele foi e é fiel a Sua única Esposa, já que se entregou por Ela no Calvário, para apresentá-la sem mancha, nem ruga,mas pura e irrepreensível com diz São Paulo na belíssima carta aos Efésios.
Será mesmo que Cristo REVELOU a você Wendy, aquilo que Ele transmitiu somente aos apóstolos e sucessores legítimos e que todo fiel é obrigado a acatar e recebe lícito e validamente somente através da Santa Igreja Católica? Quer você Wendy, repreender a Irreprensível Igreja de Cristo em matéria tão fundamental como a obrigatoriedade da devoção a Santa Mãe de Deus?

Nosso senhor disse que quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la ,mas quem quiser perdê-la por causa dEle,vai salvá-la. Pois bem, lanço um desafio à você:

Se a devoção a Sempre Virgem Maria
for opcional ( um acessório dispensável) para aqueles fiéis católicos que conhecem a Fé Verdadeira,não estão de má fé e estão livres do estado de ignorância invencível, eu; Gustavo Fernando Lourenço, peço a Deus que tire minha vida esta noite ao dormir, como prova de que isso é Verdadeiro.( isto é, prova de que a devoção a Sempre Virgem Maria NÃO é obrigatória.)
Tenho certeza que Deus lhe informará este fato acontecido comigo de alguma forma).
Caso contrário, se amanhã eu acordar normalmente, vier trabalhar e postar aqui no blog do prof. Angueth, você, Wendy, se comprometeria a converter a Fé Católica, procurando ter perfeita devoção a Virgem Santíssima, além de propagá-la a outros?

In Corde Iesu et Mariae semper.
Gustavo.

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gustavo disse...

Prezado Wendy,
Salve Maria Santíssima!!!

“ Duro desafio, esse seu. Utilize-a de modo mais católico.”

O desafio lançado é o modo mais católico que tenho condições de utilizar para lhe provar que a devoção a Virgem é fundamental para se chegar a Nosso Senhor.

"Se eu quero repreender a Igreja? Não! Não! Não!"
Quer repreender sim, pois quem nega e não aceita publicamente algo imposto caridosamente pela Santa Igreja já o fez.

"filius sapiens lætificat patrem et stultus homo despicit matrem suam (Pr.XV,20)"

Negar a necessidade da devoção a Virgem Santíssima, além de recomendar os outros que esta é opcional segundo a vontade de cada um é o mesmo que desprezar (ser indiferente) com a Vontade do Deus Filho que nos entregou tão Bondosa Mãe no Calvário.
E já que você diz que devemos ouvir o Espírito Santo, ouça então o que Ele diz no alto da Cruz :
"Mulher, eis aí teu filho (Jo XIX, 26)”.
Se quiser guarde isso :
Quando os noivos se unem em Matrimônio o padre abençoa dizendo: Eu voz declaro marido e MULHER.
A Vontade do Pai foi entregar Seu Filho Único. A do Filho foi fazer a Vontade do Pai e a do Divino Esposo foi a de entregar Sua Mulher como nossa Mãe.
Cito ainda:
"O Dragão se irritou contra a Mulher ... e sua descendência, aqueles que guardam os mandamentos de Deus ... (Ap XII, 17)”.

Será que não há um "dragãozinho" lá no fundo da sua alma?
Lembre-se que devemos guardar os Mandamentos e um deles é o de Honrar pai e mãe. Se devemos honrar os nossos pais biológicos ou naturais, o que já é bem mais do que respeitar apenas ( não é opcional) quanto mais o que devemos ter por Aquela que nos foi entregue como Mãe pelas Mãos do próprio Deus!

"O Dragão vendo que fora precipitado na terra, perseguiu a Mulher que dera à luz o Menino" (Ap 12, 13).

Ser indiferente a devoção a Nossa Senhora é o mesmo que fazer parte da descendência da serpente.
Uma breve estória ajudará a questão:
Um jovem estava em cima do muro e de um lado deste, gritavam vários dizendo: venha para cá! Já do outro lado, um silêncio enorme. Aí o jovem perguntou para os que estavam do lado silencioso: por que vocês não gritam chamando-me para o lado de vocês? Uma voz tenebrosa diz: Este muro que você está, nos pertence.
Poderia dizer ainda que para chegarmos ao Céu, devemos subir uma escada semelhante ao do sonho de Jacó. Onde cada vez que subimos um degrau estamos mais próximos de Deus Pai. Decorre que para chegarmos a Porta do Céu ( símbolo de Nosso Senhor) devemos subir degrau por degrau até chegarmos no mais elevado e próximo da Porta e consequentemente distante da terra. Agora imagine que este degrau mais elevado não exista e ao querer chegar até a Porta, tu pobre insensato, cairá num abismo devido a altura. Este degrau,não é outra coisa senão a devoção que você aqui se nega a praticar e diz ser opcional.

Nas trevas da noite, uma estrela brilhou e se movimentou parando num estábulo onde a Virgem Mãe trouxe a este mundo o Redentor.
Nas trevas, na escuridão da solidão e da dor esta mesma Virgem deixa Seu filho que trouxe a este mundo se entregar para Salvação do gênero humano. Este Filho então sela a descendência dos bem aventurados entregando Sua Mãe como nossa e de sua Esposa imaculada e irrepreensível.
Nas trevas da noite, depois que o Sol se pôs no horizonte, brilham as estrelas no céu, como os Santos. Mas, brilha mais, iluminando todo o caminho com mais clareza, a Lua, refletindo a luz daquele mesmo Sol que não esta mais visível.

Oh Virgem Santíssima, Mãe da Divina Graça, que na escuridão de meus pecados, nas minhas dores e fracassos; Tu, Lua Brilhante, tenha pena deste pobre pecador e reflita a Luz de Seu Divino Filho no caminho que estou seguindo. Que no final da escada desta minha vida eu consiga encontrar somente a Luz que refletistes.

In Corde Iesu et Mariae semper.
Gustavo.

Antonio Emilio Angueth de Araujo disse...

Wendy,

Quanto mais você escreve, e você escreve muito, mais você se revela protestante. Uma coisa que você não entende é o seguinte: quem se diz cristão e não é católico é protestante, e ponto final. Não há meio termo. Você deve, no íntimo (e talvez isto seja já o início de uma graça), considerar a posição protestante errada e por isso não se vê nela. Mas isto é o que você é exatamente.

Você me pergunta: Mas se por um lado você diz que venera Maria, não idolatrando-a, por que põe mas mãos dela a responsabilidade de parte da obra de Salvação de sua alma? Ora, respondo a você com um texto de Chesterton. E aduzo o seguinte: não sou eu quem coloca minha salvação nas mãos santíssima de Nossa Senhora, foi Deus que assim o fez. A sua salvação está também nas mãos dela, e isto é verdade, quer você queira, quer não queira aceitar. Aliás, isto é o que ocorre com qualquer verdade, não é mesmo?

Sua presução também não é pequena. Você diz, comentando sobre o Prof. Orlando: ele "Diz que Lucas 10:16 contém uma EXIGÊNCIA de Cristo (hahaha!) em que ouvíssemos seus apóstolos e evangelistas como "mediadores segundos," o que, é claro, não é verdade sob nenhuma interpretação, mesmo a mais caridosa." Então você conhece todas as interpretações? Leia, por exemplo, a Catena Áurea (sobre a qual nada lhe direi, pois já deve conhecê-la), para você entender que a questão dos "mediadores segundos", na expressão do prof. Orlando, é uma interpretação perfeitamente legítima. É que para ser protestante, é preciso desconhecer muita coisa, consciente ou inconscientemente.

Outro exemplo de presunção é esta sua afirmação: "Nem dentro da Igreja Católica há uma interpretação única, mesmo que se deseje isso." Você precisa saber que a Igreja Católica ESCREVEU o Novo Testamento. Veja se você entende: primeiro existiu a Igreja, depois esta Igreja escreveu o Novo Testamento. Bem, mas isto é fato histórico e a primeira coisa que se deve fazer para ser protestante é desconhecer a história. Aliás, esta última afirmação é de um ex-protestante ilustre: Cardeal Newman.

Mas sua presunção não deve assustar nenhum leitor do blog, pois para se considerar competente para o livre exame das Escrituras é preciso uma dose cavalar de presunção. Presunção é a ante-sala da vanglória (isto de Jesus se revelou a mim ...), vã glória, glória vã! Quem se auto-glorifica não pode mesmo aceitar Nossa Senhora como nossa corredentora!

Em JMJ.

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gustavo disse...

Wendy,
Salve Maria.

" Vou estudar! Um dia vou ser inteligente."

De que adianta muito saber e ser condenado por viver em contradição?
O saber é como uma canção, só vale se é transmitido aos outros, e transmitido principalmente com Caridade para salvação da alma.
Estudar sem meditar e rezar, principalmente sem fazer penitência, só trará mais presunção para sua inteligência e mais orgulho a sua vontade.
Estude o que a Santa Igreja ensinou infalivelmente para sua inteligência ser alimentada com a Verdade. Reze as orações que Igreja manda e recomenda, para controlar os desejos impuros da sua vontade, amando cada vez mais a Verdade Católica que conheceu estudando e; faça mortificações na sua sensibilidade,para que nenhum dos seus sentidos caia voluntariamente em paixões baixas.Por fim, pratique a Caridade dentro das suas possibilidades e condição de estado.
Vou lhe dar uma dica preciosa:
Já que você quer começar pelo estudo,estude então os textos, artigos, vídeos e livros do humilde dono desse blog.
Garanto que será um excelente começo!
In Corde Iesu et Marie semper.
Gustavo.

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Apostolado A Hora de Maria disse...

Parabéns ao Blog!!!

Uma resposta simples, inteligente e extremamente esclarecedora.

Este post prova que para falar de Maria Santíssima não precisamos de palavras rebuscadas nem de linguagem acadêmica.

São obviedades límpidas e cristalinas.

Parabéns!

Que Maria Santíssima abençoe o editor deste Blog.

Anônimo disse...

O velho prof. Miguel Reale já dizia: "O que é inteligência? É o que sobre quando se tiram os andâimes da erudição".
Vemos hoje muitos jovens com "as melhores intenções", cheios de garbo, inchados de "leituras", prontos a dar o seu pitaco sobre TODOS os assuntos - mesmo que atolados e denunciados por toneladas de palavras que desdigam a sua "modéstia" e "humildade"...
Os jovens hoje são profícuos e fecundos em escrever: escrevem muuuuito, mas não dizem muito. E mesmo quando dizem, repetem: repetem aquelas velhas e requentadas heresias que, para eles, é a fina-flor do pensamento livre e moderno!
Esse vetusto ineditismo é a antiga avitaminose de Doutrina: carecem de pertencimento, de identidade. É como naquela anedota que o prisioneiro elogia muito o tamanho da sua cela onde se encerram - e há mais de uma maneira de se entender isso!...
Não adianta falar línguas - seja outra que não o vernáculo, seja aquele blá-blá-blá de "língua dos anjos". Ler muito, "estudar" muito nada vale se não tiver caridade! Entenda-se caridade até mesmo aquela permissão que damos a nós mesmos de conhecer aquilo que, em princípio, parece "estranho", "diferente"...
As idéias pré-concebidas são piores que os pré-conceitos: com os segundos, pensamos; com as primeiras, deixamos de pensar.
O que se pode recomendar ao amigo Wendy é o silêncio: falar pouco, ouvir muito e ver mais ainda; seguindo o conselho de Sto Tomas.
http://www.hottopos.com/
mp3/de_modo_studendi.htm
Além disso, sugiro, com amizade verdadeira, a leitura meditada de um texto; trata ele da Assunção da Senhora. No intimismo das co-relações entre a Mãe e Filho, descobre-se um verdadeiro tesouro de verdade e bondade que ilumina qualquer alma - até as mais avessas a simplicidade.
http://www.veritatis.com.br
/article/3153

Com amizade;

MMLPimenta

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
wesleynfo disse...

Prezado Wendy, Salve Maria.

"Referentes à Fé católica, há muitos pontos que, ao serem postos no tapete da discussão pela astuta inquietude dos hereges, para podermos fazer- lhes frente, devem ser considerados com mais cuidado, entendidos com mais clareza e pregados com mais insistência. E, assim, a questão suscitada pelo adversário oferece oportunidade para aprender".(Santo Agostinho, A Cidade de
Deus).

Já tive um debate deste no midiasemmascara.org, você deve conhecer o site, pois pelo que vejo é aluno do Olavo de Carvalho, e como já constatei esses debates só tem inicio... E não dão frutos!

Mas vamos lá...

Todos estes debates são movidos por discordâncias sobre a Igreja, pois ela tem documentada sua doutrina, já os contrários a ela optam por não terem nada definido, sendo assim procuram a verdade, porém não afirmam nada, assim nunca encontram o que buscam. Caro Wendy, para um verdadeiro debate você teria de documentar todos os pontos de sua doutrina.

Segundo Chesterton: "A maior heresia não é um conjunto de determinadas afirmações, mas a falta de crença em afirmação alguma".

Por exemplo:

Sobre as imagens você teria de fundamentar todas as questões referentes ao uso delas.

Você teria de dizer se são ou não permitidas e o porquê?
Teria de dizer se isso esta documentado na história, na Bíblia e quais são as ressalvas quanto ao seu uso ou não, etc...

Por falar em imagens, o cristianismo se manifesta no mundo também através das artes: música, filmes, etc...
Tudo bem que você ache as imagens feias e toscas, assim como eu posso achar o som de minha vô no banheiro melhor que músicas gospel e as pegadinhas do faustão melhores que os filmes cristãos, mas posso apostar que você gosta de uma boa música, um bom filme e só não gosta quando o cristianismo se manifesta através de imagens, pois é isso que fazem os protestantes (embora você diga que não seja um). O sentido da visão tem algum privilégio? Porque músicas lindas, filmes lindos e imagens toscas e feias? A idolatria se manifesta na pessoa e não em uma imagem, é simples pergunte a si mesmo o que mais ama? Se Deus estiver em segundo lugar você é idólatra, não importa o que esta em primeiro lugar: pode ser sua Mãe ou uma imagem tosca!

Quando os protestantes, até mesmo os enrustidos, querem falar de imagem utilizam o mesmo argumento que Edir Macedo utiliza ao defender o aborto, vejo o inicio deste
vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=7aL470RWdNU

É óbvio que ele ataca a Igreja Católica embora ele diga que não, assim como me parece óbvio o ataque a Igreja Católica nas pregações contra as imagens cristãs, pois estes mesmos nunca pregam contra a música ou outras formas de expressão. Já dizia a protestante Ana Paula Valadão:

“Sei que as artes, de modo geral, foram rejeitadas em nossa cultura protestante, pois a pregação há muitos anos era basicamente ANTI-CATÓLICA (…), mas a Bíblia não condena as esculturas, pinturas, a não ser aquelas que são usadas como ídolos.”

Continua...

wesleynfo disse...

Essas evidencias comprovam que o protestantismo no Brasil é mais anti-católico que Bíblico e por isso talvez tenha exagerado ao te chamar de desleal (aqui peço desculpas), mas ainda fica uma questão pendente, o artigo que você recomenda faz tantos elogios a Agostinho que seria um disparate não aceitar as minhas citações dele aqui! Porque se negarmos a maior parte de sua obra, estaríamos desacreditando o Santo e não teria motivo tantos elogios a ele naquele artigo.

Foi através de um documento(algo visivel) que a Igreja Católica e Luterana fizeram uma DECLARAÇÃO CONJUNTA SOBRE A DOUTRINA DA JUSTIFICAÇÃO, que pode ser encontrada em:

http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/chrstuni/documents/rc_pc_chrstuni_doc_31101999_cath-luth-joint-declaration_po.html

Pois essas Igrejas se preocupam com algo que falarei adiante, a união dos cristãos!

Algo interessante é a posição de William Lane Craig (apologista cristão), talvez você conheça sua obra, este ao ser questionado se as células caseiras nos afastam da igreja, disse:

"Eu não vejo motivo para pensar que, no contexto mais amplo de um grupo ou comunidade de uma igreja, você não possa ter esses grupos pequenos, que adicionem intimidade e conexão com um pequeno grupo de pessoas. Mas eles não precisam ser separados do contexto mais amplo. E essa igreja grande terá grandes vantagens para impactar a cultura e a sociedade".

Bem, o que vemos hoje é uma negação da Igreja, por parte de cristãos(que dizem que igreja é facultativa e o que realmente importa É O AMOOORRRRR!) além dos ateus, comunistas, panteístas, esses últimos tem um aliado forte, que na verdade é alimentado pelos próprios cristãos, que é a divisão!

Ora, vejo que você valoriza a união, pois foi intermediário entre Deus e um casal para que este permanecesse unido. Na Igreja Católica o casamento é um sacramento, logo é eterno mesmo que a união física/visível se desfaça a união espiritual continua, neste sentido podemos considerar a relação entre Deus e sua Igreja como um casamento, estamos unidos (todos os cristãos) espiritualmente, mas desejamos muito mais uma união visível, caso não, qual seria o motivo de “você intervir” na união visível deste casal novamente(pois o casal estaria sempre unido invisivelmente).

Olavo de Carvalho pode estar correto, porém mais certo que isso é o desejo e até a necessidade de uma união visível, pois esta desunião é um contra exemplo dos cristãos que enfraquece, como citou William Lane Craig, a influência cristã no mundo.

Logicamente essa divisão parte do princípio de uma compreensão subjetiva das partes sobre a Bíblia e não de uma compreensão objetiva, sendo que a primeira é que vai contra a ideia de uma verdade absoluta e não a segunda. “Compreender” no seu texto é abrangente não me pareceu sinônimo de vivência e sim de total conhecimento sobre os escritos, tanto os genéricos quanto os específicos. Até porque você usou depois o termo “cristianismos”, ora este termo só faz sentido se for no singular, pois cristianismo é uma via de salvação e não várias.

Por isso Santo Agostinho dizia:
"Eu não creria no Evangelho, se a isto não me levasse a autoridade da Igreja Católica"

E mesmo ele, como Olavo de Carvalho, Chesterton entre outros acreditam nesta autoridade(porque será? A resposta acredito estar no exórdio deste texto).

wesleynfo disse...

Quando me pergunta :”Nunca te ocorreu que algumas pessoas conheceram Jesus sem qualquer contato com os dogmas cristãos?”

Ora, quem crê na salvação somente pela fé não somos nós Católicos. Afinal:

“Todos os que sem a lei pecaram, sem aplicação da lei perecerão; e quantos pecaram sob o regime da lei, pela lei serão julgados. Porque diante de Deus não são justos os que ouvem a lei, mas serão tidos por justos os que praticam a lei. Os pagãos, que não têm a lei, fazendo naturalmente as coisas que são da lei, embora não tenham a lei, a si mesmos servem de lei; eles mostram que o objeto da lei está gravado nos seus corações, dando-lhes testemunho a sua consciência, bem como os seus raciocínios, com os quais se acusam ou se escusam mutuamente.” (Romanos 2, 12-15)

Você me pergunta: “Tudo bem que você deva defender aquilo em que acredita, mas será que só a Igreja Católica contém ensinamentos tradicionais diretos dos apóstolos?”
Bem, a própria Igreja Católica reconhece a sucessão apostólica dos Ortodoxos, mas os valdenses é difícil acreditar pela diferença gritante entre ela e as demais Igrejas citadas. Uma diferença notória e que todas as demais tem um líder: Bartolomeu I, O Papa Bento XVI e o O Papa Shenouda III e tem uma sucessão que pode ser verificada historicamente.
Logicamente não são do Diabo(respondendo sua pergunta sobre as demais igrejas), uma vez que a própria Igreja Católica permite um fiel comungar na Igreja Ortodoxa.
Já na sua outra pergunta: “Mas segundo que padrões, pressupostos, premissas ou princípios você diz que a crença nela não pode ser vivida por ninguém em particular?”
Bem você não entendeu a pergunta, e confundiu, como agora me parece claro, as palavras compreender e vivenciar. Questões específicas como a Santíssima Trindade (Deus uno e Trino) até onde eu saiba, foi negada pelos macedônios, e foram debatidas em um Concílio, onde ficou declarada a divindade do Espirito Santo. Agora eu me pergunto a negação disto através de uma experiencia particular (uma compreensão subjetiva) é digna de fé ou isso já pode ser considerado um dogma que não mais pode ser contrariado e isso impacta na salvação?
A respeito de Maria, ela pode ser considerada nossa Mãe, por vários motivos (os meus estão abaixo), e não vejo problema disso:
Cronologicamente ela foi a primeira cristã, assim como uma Mãe vem primeiro que seu filho;
Hierarquicamente ela é cheia de graça, acima de nós o que possibilita ensinar-nos a também sermos cheios da graça de Deus, uma Mãe ensinando os passos corretos ao seu filho ;
“exceto a Santa Virgem Maria, a quem eu desejo, por causa da honra de Nosso Senhor, deixar inteiramente fora de questão quando se fala de pecado” (Santo Agostinho).
Terceiro espiritualmente, pois nunca se separou de Jesus tanto nos momentos bons como ruins, a melhor lição de vida que uma Mãe pode dar!
Termino desejando-lhe a paz de Cristo, acredito que você é uma boa pessoa e vai arrumar um bom rumo para sua vida quer seja na Igreja Católica quer seja fora dela, porém em qual lado estiver esteja por inteiro.
Paz e Bem!

Gustavo disse...

Wendy,
Salve Maria.

" O problema é que o que aqui se entende por humildade é não questionar dogmas ou questioná-los quase com um pedido de desculpas, falando pouquinho e baixinho só porque o blog é católico."

Você está completamente enganado, pois o Bem pode ser questionado, mas sempre de forma boa (humilde), nunca de forma maliciosa (soberba) ou com respostas que exprimem a rebeldia na alma.
Além disso, você aqui não apenas questiona dogmas de forma má,como também faz afirmações contra eles, como abaixo:

" Há verdades doutrinais, isto é, gerais. Elas estão contidas em TODOS os cristianismos, mas há verdades individuais como o uso do véu por parte das mulheres, o Padre bebendo vinho ou dando-o a toda a congregação; com o celibado como doutrina ou com bispos casados; com pessoas se confessando à um homem ou confessando-se a toda a congregação. São coisas tão individuais quanto assoar o nariz."

E quando questiona o faz com indícios de rebeldia na vontade, pois vem com respostas induzidas e petulantes as próprias perguntas:

Quem guardou os ensinamentos de Cristo, então? A Igreja Católica, a Igreja Copta, a Igreja Ortodoxa, as igrejas 'anônimas' que criaram nome apenas na Idade Média, algumas delas que continuaram anônimas até na Reforma Protestante, etc. Há muitas coisas entre o céu e a terra do que supõe tua vã filosofia, meu caro."

E veja que o Prof. Angueth, o Pimenta e demais já forneceram aqui, elementos suficientes para dissipar as dúvidas pertinentes ao assunto.

In Corde Iesu et Mariae semper.
Gustavo.

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fred disse...

Wendy,

Você é aluno do curso de filosofia do Olavo? Se sim, vejo que você não está seguindo o conselho dele de fazer voto de pobreza de opinião.

Vamos estudar mais para listar e conhecer bem os tais "pressupostos" para o debate que você citou num outro comentário? Você já compreendeu bem o porquê de todos os autores citados nos seus comentários serem católicos? Santo Agostinho, o santo Padre Pio, Chesterton, Olavo de Carvalho. De todos eles, só o Padre Pio sempre foi católico. Pergunte pro Olavo por que razão ele é católico.

Eu também sou jovem, eu acho que entendo sua afobação. Calma, vamos estudar.

Por fim, uma jocosidade light. Já que você faz tanta questão de não ser chamado de protestante, vamos utilizar uma designação mais genérica então: herege. Pode ser?

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gustavo disse...

Wendy,

“ A própria omissão de João sobre o assunto nos diz que não é obrigatório que ACEITEMOS Maria como nossa mãe, mas é totalmente necessário que a AMEMOS como irmã.
Não fui soberbo. Se eu fosse soberbo, o Angueth nem aceitaria meus comentários. Eu aprendi a questionar com amizade, humildade, etc.”

Acredito que prof.Angueth, aceita seus comentários aqui,porque ele é muito caridoso,tem uma dose "cavalar de paciência" para contigo que é muito jovem ainda, além de perceber que você não tem má intenção.
Eu não disse que você foi soberbo, eu escrevi que uma pessoa que questiona o Bem de forma má pode fazê-lo com soberba ou com indícios de rebeldia na vontade da alma conforme as respostas que dá. Você se encaixa perfeitamente na segunda opção, pois pergunta presumindo as coisas com a resposta pronta, conclusiva, contendo erros grosseiros. Então concordo integralmente com o prof. Angueth e o Frederico. Você está sendo afobado, por isso a presunção está lhe acompanhado em vários post que escreve:

“Que mãe não teria tal felicidade, se considerando pequena? Ou não diz Maria que Deus não viu sua pequenez, sua baixeza? Já chorei muito lendo o cântico de Maria. É algo que eu mesmo canto frequentemente e volto a me emocionar, pois Deus não viu minha baixeza ao me dar Sua Graça e me encher de Graça, embora algumas vezes eu falte com graça para com os outros.”

Acima, você equipara a sua baixeza com a da Virgem Santíssima. Isso, como já disse muito bem o prof. Angueth, contém uma dose cavalar de presunção.
Pois saiba afobado Wendy, que a baixeza da Virgem é somente em grau hierárquico entre a criatura e o Criador. E justamente por ter encontrado Graça diante do Criador, por ser cheia de Graça, que Deus não viu ( não relevou ) que se tratava de uma criatura humana ( normalmente inferior hierarquicamente aos anjos).
Você, petulante Wendy, ao contrário da Virgem e exatamente porque Deus vê a sua baixeza ( seus pecados) que Ele quer bondosamente antes de tudo lhe restituir a graça santificante, para depois lhe conceder novas graças. Mas isso depende da sua vontade de abandonar os pecados que comente contra Ele, principalmente os contra a Fé Católica.
continua...

Gustavo disse...

Suspeito de longe, que pelo que escreve, você não tenha a menor idéia do que significa verdadeiramente ser humilde. Aquela que é cheia de Graça da qual você não quer ser devoto, lhe ensinará o que significa essa palavra:

Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo.
Perturbou-se ela com estas palavras e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação.

Por que Wendy, Maria ficou perturbada com a saudação do anjo, se este disse que ela está com Deus, cheia de Graça?
Diferente da presunção do Wendy, Maria se vê surpresa com a saudação do anjo, pois compreendia que uma criatura celeste é que recebe primeiro a saudação de uma terrestre. Com ela foi o contrário. Provavelmente se fosse com o Wendy, este afobadamente encher-se-ia de orgulho dizendo: Nossa! Como sou importante para Deus. Um anjo saudando-me primeiro, dizendo que estou salvo e sou cheio de Graça!
Não! Maria sabendo sua situação de criatura humana, logo colocou a potência mais nobre da alma para descobrir porque seria salva e era cheia de Graça. Com a inteligência sábia (pois a sabedoria é o primeiro dos dons concedidos pelo Seu Divino Esposo), ela se pôs a PENSAR.
Logo após o anjo lhe disse o porquê seria salva e era cheia de Graça:

O anjo disse-lhe: Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus.
Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus.
Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.

Diferente de Wendy, Maria sabia em seu intelecto que é lícito questionar quando não se conhece algo, mas também que tal questionamento deveria ser feito de forma boa, evidenciando adequadamente o que se quer conhecer pela pergunta feita e não presumindo coisas a partir do que o anjo já havia dito anteriormente. Por isso:

Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, pois não conheço homem?
Respondeu-lhe o anjo: O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril, porque a Deus nenhuma coisa é impossível.

Com a explicação arrebatadora do anjo de que o Verbo se encarnaria em seu ventre e isso seria feito de forma miraculosa (sem se unir com varão algum) e misteriosa (permaneceria Virgem antes, durante e depois do parto e seria Mãe simultaneamente com isso), percebeu no seu intelecto a Verdade deste fato e colocou a sua vontade inteiramente ao dispor de Seu Senhor :

Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo afastou-se dela.

Recebida a Caridade Absoluta em seu ventre imaculado, lembrou-se do que o anjo havia dito sobre sua prima Isabel e foi logo praticar a caridade verdadeira : Interceder por Isabel e seu filho João Batista, através dAquele que foi concebido em seu ventre imaculado. Esta intercessão foi de uma caridade imensa para com João Batista e sua prima Santa Isabel, pois os livrou da culpa original. Veja Wendy, o primeiro batismo cristão de toda história da salvação
aconteceu antes mesmo da criança nascer ( e tem protestante que tem a audácia de dizer que só se pode batizar adultos )
Após todos esses fatos espetaculares restava, portanto à Virgem, agradecer as maravilhas que Deus fez nela e através dela com seu belíssimo cântico Magnificat.

In Corde Iesu et Mariae semper.
Gustavo.

Israel TL disse...

É muito simples: Para que nos salvemos, precisamos da graça de Deus. Mas por nossas forças, não somos capazes de nos salvar.
Porém, Deus é Justo, e não pode nos dar graças que não merecemos.

Como resolver esse impasse?

Maria Santíssima é a única criatura merecedora de todas as graças. Deus assim no-las distribui através dessa doce Senhora, pois ela obteve méritos infinitos, ela é cheia de graça, e encontrou graça para toda humanidade, segundo o anúncio do anjo.

Assim, Deus não nos dá as graças, pois não as merecemos, e assim satisfaz sua infinita Justiça. Mas entrega todas as graças a Maria, e ela, sendo a merecedora de todas, as pode distribuir para quem desejar.

Nossa Senhora é o instrumento que o Senhor criou para poder nos agraciar com tudo o que é necessário a nossa salvação. É a Medianeira de todas as graças!

Se qualquer pessoa se julga merecedora diante de Deus, já está cheia de orgulho e soberba.

Que o Bom Deus não deixe nenhuma alma miserável acreditar que pode se salvar por suas próprias forças, sem o auxílio da Santa Mãe de Deus.

Ora pro nobis, Sancta Dei Genetrix.

Ut digni efficiamur promissionibus Christi.

Wendy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gustavo disse...

Prezadíssimo Israel,
Salve Maria Santíssima!!!

" Nossa Senhora é o instrumento que o Senhor criou para poder nos agraciar com tudo o que é necessário a nossa salvação. É a Medianeira de todas as graças!"

Fechou com chave de ouro!
E para o wendy que gosta de uma de algo mais poético e já até chorou de emoção com o Cântico de Maria, mas não se converte. Cito a belíssima frase de São Luis Montfort diretamente relacionado com a sua conclusão incontestável:

"Deus juntou todas as águas e fez o mar.Reuniu todas a graças e fez Maria!!!"
In Corde Iesu et Mariae semper.
Gustavo.

Gustavo disse...

Wendy,
Salve Maria Santíssima.

"Não vamos ficar nessa semântica toda."

Mas talvez seja justamente por você não compreender o significado próprio, diverso e análogo de algumas palavras relacionadas com os posts, que a sua vontade não admite a obrigatoriedade da devoção a Sempre Virgem Maria. E veja que muitos aqui com caridade, tentaram lhe esclarecer isso.

Vou tentar de uma outra forma:

A palavra honrar, de um ser racional para outro tem significado geral de satisfazer uma obrigação, de respeitar, reverenciar ou mesmo penhorar.
Já do ser racional para ele próprio o sentido muda para ufana-se, envaidecer-se e etc.
Entretanto para ficar claro a idéia na relação entre os seres envolvidos enfatizando suas diferenças em grau e qualidades,utiliza-se outras duas palavras designando a intensidade e diferenciação desta relação: venerar e adorar.

1) De uma criatura racional pecadora que tem a obrigação de satistação para com outra nas condições de grau e qualidade, utiliza-se a palavra HONRAR como por exemplo: os filhos devem uma obrigação de satisfação a seus pais ,devem HONRA-LOS, porque lhes deram a vida.

De uma criatura racional pecadora ou santa ( de acordo com o grau hieráquico) para outra criatura santa usa-se a palavra VENERAR.

E de qualquer criatura racional para o Criador utiliza-se a palavra ADORAR. Embora no uso comum, esta palavra tem uso diverso para enfatizar que se gosta ou se ama muito algo, seu sentido próprio é de considerar que se ama o ser acima de todos os outros seres.
Quando o Ser que se está colocando acima de todos os outros, verdadeiramente o É estamos ADORANDO este Ser, por consideramos Criador das coisas abaixo dEle. Caso contrário estamos IDOLATRANDO.
Foi necessário chegarmos a descrição acima por causa da palavra em questão aqui que é DEVOÇÃO.
A devoção de veneração, voltada aos santos (criatura humana ou anjo) chama-se dulia, sendo a veneração especial à Virgem Maria denominado de hiperdulia.(obrigatória para todos os seres racionais abaixo dela)
Já a devoção de adoração ou latria, é unicamente dirigida e prestada à Santíssima Trindade (Deus).
É preciso salientar que a devoção não é igual à idolatria,como já mostrado, que é o culto de adoração que se presta a uma criatura, tributando-lhe a HONRA que é devida somente a Deus.

In Corde Iesu et Mariae semper.
Gustavo.

Gustavo disse...

Wendy,
Salve Maria Santíssima.

"... se eu chegasse pra ela e dissesse: "Maria, minha mãe." Hahaha! Mas eu ADORARIA tratá-la assim."

"Amo Maria e a considero superior a mim, embora não queira VENERÁ-LA ou ADORÁ-LA."

Você não quer VENERAR A Virgem Santíssima(em sentido próprio e obrigatório,diga-se de passagem) , mas ADORARIA (em sentido diverso) tratá-la como Mãe?
Viu como você mesmo faz uso de palavras que têm sentido próprio, análogo ou diverso conforme a frase que coloca?
In Corde Iesu et Mariae semper
Gustavo.