quarta-feira, julho 06, 2011

Atenção: a devoção a Nossa Senhora não é opcional!

Nota do blog Isto é o que nos avisa Pe. Frederico Faber (oratoriano, originalmente anglicano, nasceu e viveu na Inglaterra de 1814 a 1863)num texto belíssimo e terrível. Ele o inicia dizendo: “Concluo que os nossos obstáculos (à vida espiritual) secretos se baseiam em cinco erros”. Um deles é o relacionado à devoção a Santíssima Virgem. Vejamos então o que nos ensina Pe. Faber no capítulo 5 do seu livro “Progresso na Vida Espiritual”, Editora Vozez, trad. Mariana Nabuco, 1954.

É bem possível que o empecilho (à vida espiritual) seja a falta de devoção a nossa Senhora. Sem esta devoção a vida interior é impossível, porque não é conforme a vontade de Deus. E esta reside sobretudo em nossa Senhora. 

Ela é a solidez da devoção, e não nos lembramos bastante disso. Os principiantes estão com freqüência tão ocupados com a parte metafísica da vida espiritual, que não dão a esta devoção a necessária importância. Mencionarei aqui alguns pontos que eles não parecem ter a peito. 

A devoção à Mãe de nosso Senhor não é um ornamento do sistema católico, uma beleza supérflua, nem mesmo um auxílio, dentre os muitos que podemos ou não empregar, mas é parte integral do cristianismo, e, sem ela, nossa religião não é, estritamente falando, cristã. Seria uma religião diferente da que Deus revelou. Nossa Senhora é uma lei distinta de Deus, um meio especial de graça, cuja importância ressalta do ódio instintivo que lhe tem a heresia. 

Maria é o pescoço do corpo místico unindo portanto todos os membros à Cabeça, e sendo o canal e o instrumento que dispensa todas as graças. A devoção a nossa Senhor é a verdadeira imitação de Jesus, porque, após a glória do Pai, foi a devoção mais ligada e mais cara ao sagrado Coração. É de uma solidez a toda prova, porque está perpetuamente ocupada como o ódio do pecado e a aquisição de virtudes substanciais. Descuidar-nos dela é desprezar a Deus, pois ela é a sua lei; é ferir a Jesus em sua Mãe. 

Deus mesmo a colocou na Igreja, como um poder distinto, e, portanto, o seu culto é eficaz, é fonte de milagres, é parte da nossa religião, que de modo algum podemos pôr de lado. A espiritualidade é necessariamente ortodoxa. Isto é evidente. Ora, a doutrina não seria ortodoxa, se preterisse o ofício e as prerrogativas da Mãe de Deus. Assim, também a espiritualidade não é ortodoxa, em se desviando ou separando duma devoção tão generosa quão justa. Com efeito, um erro de doutrina é duplamente perigoso quando se relaciona com a vida espiritual. Envenena a tudo, e não há prejuízo que não se possa prever para a infortunada alma que lhe é sujeita. 

Se, então, tendes os sintomas que indicam algo de errado, algo que vos retarda, verificai primeiro se vossa devoção a nossa Senhora é o que devia ser, em qualidade e grau, em fé e confiança, em amor e lealdade. A perfeição está sob a sua proteção particular, porque é uma das especiais prerrogativas de que goza como rainha dos santos.

3 comentários:

Gustavo disse...

Prezadíssimo prof.Angueth,
Salve Maria Santíssima!!!

Sobre isso basta lembrar que para ir até Deus Pai, tem que ser por Deus Filho. E para ir a Deus Filho tem que ser obrigatoriamente por Sua Mãe Santíssima, pois nos desígnios misteriosos e maravilhosos de Deus,a Virgem Imaculada é o canal dispensador das Graças de seu Esposo, o Deus Espirito Santo. Sempre devemos ter em viva memória que por meio de uma mulher ( Eva ) a perdição entrou no mundo, logo foi por Outra Mulher ( a Virgem Santíssima) que a Salvação veio ao mundo.
Coisa maravilhosa e desconhecida de muitos católicos de hoje é saber que Deus ao fazer o homem com corpo e alma, lhe deu perfeitamente para cada parte um paraíso. Um para o corpo ( o jardim do Éden , que lamentavelmente foi perdido ), um para alma daqueles que O amam ( o Paraíso Celeste onde etá a Igreja Triunfante) e finalmente, já que o próprio Deus por união hipostática também é homem com Corpo e Alma, tinha que fazer um Paraíso só para Si. Esse Paraíso é o Ventre Imaculado de Maria Santíssima!!!
Maravilha das maravilhas:
O Criador se escondeu na Criatura máxima, mais Brilhante, mais Bela e mais Perfeita de todo o Universo!

in Corde Iesu et Mariae Semper.
Gustavo.

Captare disse...

Caríssimo Angueth, Laudetur Dominus!

Vindo de um ex-anglicano e demonstrando todo esse cuidado e toda esta ortodoxia ao falar da Santa Mãe de Deus, este ensaio é de valor inestimável.

Principalmente em nossos tempos em que até nas aulas de preparação para a Crisma nas paróquias ouvimos do catequista coisas como "Eu, quando peço algo, vou direto a Jesus. Não tenho necessidade de pedir nada a Nossa Senhora ou aos santos"...

Pax et Salutis

Gustavo disse...

História para quem pensa que a devoção a Virgem é um acessório na Fé Católica:

Um sujeito que vivia continuamente em pecado mortal tinha uma esposa muito piedosa. Esta, vendo que seu marido não mudava de vida de forma alguma, pedia insistentemente que quando passasse próximo a uma imagem de Nossa Senhora , rezasse uma Ave Maria. O desgraçado do marido,mais para se ver livre da insistência da esposa do que por devoção cumpriu com o prometido. Um dia quando ia para uma orgia,viu brilhar uma luz a pouca distância. Aproximou-se e viu uma estátua de Maria com o Menimo Jesus no colo. Conforme havia prometido, rezou a Ave maria, mas quando estava por terminar a oração, observou que o Menino Jesus estava coberto de feridas de onde as quais jorrava sangue em abundância, foi quando o desgraçado pensou:Ai de mim! São os meus pecados que abriram essas chagas no Divino Redentor. Esta cena lhe arrancava lágrimas amargas, entretanto o Menino chagado, com um semblante severo, desvia o olhar. Então o pecador suplica a Nossa Senhora:"Mãe de Misericórdia, vosso Filho me rejeita, intercedei por mim ,pois sois o meu único refúgio"
Maria respondeu: "Oh pecador ingrato,chama-me de Mãe de Misericórida e faz-me a mais miserável das mães, renovando a Paixão de Meu Filho e as angústias que nela sofri."
Contudo, como Maria não pode dispensar ninguém sem consolação, pôs-se a pedir ao Menino por aquele pecador. Jesus se mostrava pouco disposto a perdoar. Maria então colocou o menino no chão e ajoelhando-se aos Seus Pés rogou:
Oh ,meu Filho não me levantarei daqui enquanto não obtiver o perdão deste infeliz. respondeu Jesus: Oh minha Mãe,nada posso te negar, que esse pecador então chegue mais perto e venha beijar as minhas Chagas". Aquele homem ,arrebatado de gratidão aproximou-se de Jesus e a medida que ia beijando Suas Chagas ,estas iam se fechando. Jesus então o abraçou como sinal de reconciliação. A conversão daquele pecador foi sincera e duradoura. Passou o resto de sua vida a praticar as virtudes cristãs,salientada por uma afetuosa gratidão por Aquela que lhe restituiu de modo imprevisto a amizade de seu Deus.

Ora pro nobis Virgo Fidelis!
Gustavo.