quinta-feira, julho 07, 2011

Ajoelhem-se diante de Dele! Um equívoco do blog!

Este foi o texto do meu post original: Uma praça na cidade de Preston, Inglaterra; um país dos menos católicos do mundo ocidental; um continente que, embora tenha sido concebido e viabilizado pela Igreja, se descristianiza (e se islamiza) a grande velocidade. O Santíssimo é erguido, por um Capuchinho Fransciscano da Consolação, e o que se segue é momentoso. Assistam o vídeo, com legendas em português que são um presente de um grande amigo para os leitores do blog. Deus lhe pague!

Eu estava enganado sobre esta exposição do Santíssimo e o que vai abaixo é um alerta de uma leitora sobre o evento, que na verdade foi só um teatrinho, coisa gravíssima. Peço desculpas aos leitores do blog pelo equívoco e pela falta de uma verificação mais abrangente da coisa. Agradeço à Patrícia pelos esclarecimentos (que estão também nos comentários do post).





Infelizmente, professor, o evento foi  no estilo "flash mob" e foi mais uma peça de teatro, por assim dizer. De acordo com o frei que organizou o evento, somente 4 pessoas ajoelharam para o Santíssimo de improviso. O resto foi combinado. Cerca de 30 pessoas participaram como "atores". A chegada era combinada, foi cronometrada minuto a minuto e foi feito para parecer que as pessoas se impressionavam e ajoelhavam diante de Jesus Hóstia.





Cito: Recruiting people for a novel event like this was difficult, not least because we wanted to keep the details from public circulation, and we were hampered by the fact that most Catholics hadn’t even heard of ‘flash mobs’.

E mais adiante: At the preparatory meeting and briefing we split people into 5 groups, with instructions to arrive on the scene at different times (watches/phones had to be synchronised). The first group had to be the bravest, being the first to kneel down. I was to arrive at exactly1.15pm, and the first ‘kneelers’ 30 seconds after, once I’d elevated the monstrance. Others were to come on the scene at 1.16pm, and then at 1-minute intervals after that, so that the ‘congregation’ would slowly grow. The flash-mobbers were asked to start clapping and cheering at a certain point towards the end of Br. Loarne’s litany. Once again, the idea was to have something that seemed spontaneous, and which others could join in.

Abs,
em Cristo,
Patricia

9 comentários:

Fábio Graa disse...

Sem palavras, professor.

Deus o abençoe.

Gustavo disse...

Salve Maria Santíssima, Mãe do Meu Senhor e Salvador!!!
Que presente professor Angueth!

Esse frade saiu do vortex das Luzes da Idade Média e foi parar lá naquela praça.
In Corde Iesu et Mariae semper.
Gustavo.

Israel TL disse...

Não gostei.

Não bastasse a irreverência com o Santíssimo dentro de nossas igrejas, agora o tratam como um simples objeto que se carrega numa bolsa. E o fato de ser em público só piora as coisas. Que estejam na procissão em Corpus Christi se querem adorá-Lo publicamente.

O que me alegra, nesse vídeo, é ver o imenso amor de Cristo por nós, que se entrega a ponto de se deixar carregar como um sanduíche na mochila. Isso se for mesmo uma hóstia consagrada. Nas circunstâncias do vídeo, desafio alguém a ter certeza.

E digo mais: se eu estivesse passando ali naquele momento, ficaria muito desconcertado. O que fazer? Se me ajoelho, corro o risco de idolatrar um pedaço de farinha. Se não ajoelhar, arrisco ser irreverente para com o Santíssimo Sacramento. Quem poderia dizer que alguém tiraria o Meu Senhor e Meu Deus de uma bolsa no meio da rua? Façam-me o favor. Espero que isso jamais se repita.

E que o Bom Deus abençoe a todos!

Ricardo Tarrasch disse...

Angueth, Israel TL tem razão. Não há nada a se comemorar nesta irreverência ao Santíssimo.

É bastante duvidoso que a hóstia tenha sido de fato consagrada.
Bem, não é exagero dizer que por essas bandas, o caldo conciliar vai ganhando corpo...

Também é fato que o espírito conciliar, portanto modernista, somente engana a quem amam a mentira.

Diante de tudo isso, só resta uma frase: "Sai do meio dela, meu povo!", cpnforme escrito no Apocalise. Ah, devo me desculpar, já que a Escritura tende ao sectarismo...

P disse...

Infelizmente, professor, o evento foi no estilo "flash mob" e foi mais uma peça de teatro, por assim dizer. De acordo com o frei que organizou o evento, somente 4 pessoas ajoelharam para o Santíssimo de improviso. O resto foi combinado. Cerca de 30 pessoas participaram como "atores". A chegada era combinada, foi cronometrada minuto a minuto e foi feito para parecer que as pessoas se impressionavam e ajoelhavam diante de Jesus Hóstia.

http://acertainhope.blogspot.com/2011/06/making-of-eucharistic-flash-mob.html

Cito: Recruiting people for a novel event like this was difficult, not least because we wanted to keep the details from public circulation, and we were hampered by the fact that most Catholics hadn’t even heard of ‘flash mobs’.

E mais adiante: At the preparatory meeting and briefing we split people into 5 groups, with instructions to arrive on the scene at different times (watches/phones had to be synchronised). The first group had to be the bravest, being the first to kneel down. I was to arrive at exactly1.15pm, and the first ‘kneelers’ 30 seconds after, once I’d elevated the monstrance. Others were to come on the scene at 1.16pm, and then at 1-minute intervals after that, so that the ‘congregation’ would slowly grow. The flash-mobbers were asked to start clapping and cheering at a certain point towards the end of Br. Loarne’s litany. Once again, the idea was to have something that seemed spontaneous, and which others could join in.

Abs,
em Cristo,
Patricia

Antonio Emilio Angueth de Araujo disse...

Caros Ricardo,
Salve Maria!

Não acho que Israel tenha razão. A exposição pública do Santíssimo nada tem de mal em si. As grandes procissões do passado, com milhares de pessoas, eram um fato grandioso em nossas cidades. Também não acho que o transporte do Santíssimo em si esteja errado, se feito com cuidado e respeito. Afinal, padres transportam Hóstias Consagradas para atender doentes em casas e hospitais e as levam em pastas, valises, etc.

Quanto à Hóstia não ter sido consagrada, aí eu não sei. Se isto tiver acontecido, é muito grave.

Agora, o que a Patrícia nos informa, pelo que eu a agradeço muito, aí sim, isto é muito grave. De fato, a coisa foi toda montada como um teatro e isto é gravíssimo. Vou reproduzir a mensagem dela no post como um alerta a todos.

Obrigado Israel, Ricardo e Patrícia.

Em JMJ.

Gustavo disse...

Prezado Prof.Angueth,
Salve Maria Santíssima.

Concordo plenamente com o senhor e agradeço também a Patrícia pelo esclarecido. Vale lembrar que se fosse verdaderia a situação, obviamente seria incomum e não poderia de forma alguma ser frequente ( pelo próprio fim a que se destina). Acredito que o Santíssimo não foi transportado de forma irreverente, pois estava no ostensório que é uma peça de orivesaria destinada a expor solenemente a Hóstia Consagrada sobre o Altar ou para a transportar solenemente em procissão. Como o episódio não foi uma procissão e nem uma exposição solene sobre o Altar, mas na verdade um teatro ( como diz a Patrícia),sou obrigado a concordar nesse sentido com o senhor e o Israel, de que se trata de algo muito além da irreverência, mesmo que a intenção fosse boa. Bom, de todo essa confusão, pode-se aproveitar alguma coisa da meditação sobre a Presença real que o frade fez.

In corde Iesu et Mariae semper.
Gustavo.

Piter disse...

Perdoem minha sinceridade, achei SIMPLESMENTE LINDO, ADOREI, O TEXTO É PERFEITO, DÁ ATÉ VONTADE DE FAZER IGUAL NUMA PRAÇA. A mensagem é calorosa, contagiosa e dígna de ser traduzida e gravada para todos ouvirem, mesmo que sem as encenações. Abraço à todos, Paz e Bem.

Wendy A. Carvalho disse...

As quatro almas que se ajoelharam valem mais que ouro.