sábado, junho 22, 2013

O que fazer? Olavo de Carvalho tem a receita! E não é de hoje!

Toda vez que o blog menciona Olavo de Carvalho, recebo mensagens de católicos, ditos tradicionais, me espinafrando porque estou citando esse "fulano". Bem, cito Olavo porque ele é essencial para se compreender o Brasil de hoje. Cito-o porque ele me tirou do abismo da imbecilidade esquerdista.Se não fosse ele, eu e meus filhos estaríamos participando das manifestações que infestam o Brasil. Se não fosse ele, eu estaria lendo o blog do José Dirceu, como colegas meus aqui da universidade fazem; um deles me disse inclusive que as manifestações são coisa da extrema direita. Vivo num antro, mas consigo pensar, graças ao Olavo de Carvalho.

Assim, vou continuar a recomendá-lo, a citá-lo, a compartilhá-lo. A propósito, o vídeo abaixo.

 

9 comentários:

Karen disse...

Olá professor Angueth, a paz de Cristo! Descobri seu blog ontem (através de uma busca no google sobre Chesterton). Estou encantada. Gostaria de deixar um relato, sobre a necessidade de informação católica de qualidade, como vocês disponibilizam aqui. Fique à vontade para publicar ou não. Dividi em dois comentários.

Nasci numa família católica, estudei, quatro anos (enquanto deu para pagar) em escola católica, ou seja, "sempre" fui católica, e minha família sempre zelou, da maneira que sabia, por isso. Há cinco anos, Deus colocou um noivo "católico que virou protestante" no meu caminho. Ele havia sido católico até uns 7 anos, quando a crise no casamento dos pais começou e eles correram a buscar consolação em outras "denominações". Acabaram por se separar quando meu noivo tinha 16 anos. Aconteceu o previsível e ele se afastou de Deus. Nos conhecemos anos depois. Eu achei que este cenário era algum tipo de missão divina "Ide e pregai o Evangelho". Descobri posteriormente que estava mais para uma Cruzada... Apesar de anos sem pisar num "templo", o resultado das lavagens cerebrais da escola dominical protestante ainda eram bem vivos no seu (sub)consciente. Tivemos nossa primeira briga "por causa de religião". Comecei a duvidar da minha fé, não do catolicismo, mas do quanto eu estava inserida nele. Percebi que eu sabia muito pouco sobre a Igreja, e da importância dela para compreendermos o mundo. Apesar disso, eu jamais mudaria de religião, mesmo sem resposta para muitas perguntas. Eu preferia perder o noivo a abandonar minha Igreja. Teimosia providencial, influência da família, que apesar de humilde, tinha fé.

Comecei a estudar. Essa é a primeira deficiência do católico contemporâneo. Não estuda. Não conhece. Fica perdido. Segue o primeiro pastor que vê pela frente, pois o mesmo lhe dá uma espécie de "revelação", que nada mais é do que a repetição de uma mentira após a milésima vez... Sim, são as "verdades" que se contam por aí sobre a IC. Comecei, obviamente, pela internet. É complicadíssimo através dos grandes sites de busca, encontrar proveito para os católicos... Se você usa como palavras-chave dúvidas sobre catolicismo, encontrará mais "babilônia" protestante do que Santa Igreja. Mas Deus me guiou por uma longa jornada ao encontro da Verdade. No início, foram 8 meses fazendo novenas seguidas pela conversão do noivo, com quem havia combinado de não tocar mais no assunto religião. 8 meses estudando, sem que ele soubesse, e sentindo como se fosse um caso perdido. Após tanto tempo, um belo dia, ao telefone, ele fala "eu gostaria de conhecer a sua Igreja. Gostaria que você me ensinasse mais". Obviamente eu chorei, mas ele não ficou sabendo disso.

Nestes estudos, eu me APAIXONEI pela minha Igreja.

Karen disse...

(parte 2)
Eu me decepcionei com algumas coisas também, como por exemplo, como pode 90% dos católicos saberem tão pouco? Como posso ter estudado em colégio católico e nunca ter ouvido falar dos Santos Padres da Igreja? Nem do padre Pio (ou história dos grandes santos)? Nem outra versão para a Inquisição? Nem do Catecismo da Igreja Católica? Nem saber o que foi o Concílio Vaticano II? . Sem saber o que é teologia da libertação ou da prosperidade? E o mais absurdo: sem saber o quanto as bandeiras vermelhas continuam presentes nas nossas vidas e inclusive - infelizmente - na Igreja. Descobri que a minha educação em escola católica foi tão influenciada pelo marxismo quanto nas escolas laicas que estudei. Ao menos fazíamos orações diárias, que devem ter me mantido no caminho apesar de tudo.

Hoje eu e meu noivo estamos na fase de ler, e muito. Ele lê livros para desconstruir as mentiras sobre a Igreja Católica contadas por aí. Também está se preparando para receber os outros sacramentos (só tem o Batismo). Eu estou numa fase de investigação. Hoje eu sei que há radicais tanto para ortodoxia quanto para liberalismo. Quero muito deixar claro que 90% dos católicos NÃO SABEM disso.

Depois de muito estudo, comecei a encontrar pessoas "confiáveis" e verdadeiramente católicas e que tenho como diretores espirituais (ainda que eles não saibam!)! Quiquei de site em site de apologética até que comecei a observar detalhes que me ajudariam a identificar o catolicismo nas palavras, nos gestos, nos objetos e nas vestimentas. Achei o site de um padre carequinha, de batina preta e me interessei. Pe. Paulo Ricardo. Também percebi que Olavo de Carvalho é muito respeitado, embora eu o ache um pouco "ácido", o que não interfere na verdade da maior parte de suas palavras. Descobri muitos livros bons através deles e aprendi a selecionar melhor minhas leituras. Outro "catequista" que tive foi o amado Bento XVI. Ás vezes penso se não foram as orações dele pela conversão dos jovens e pela identificação das bandeiras vermelhas que atingiram meu coração...

Hoje é fácil evitar certas literaturas rasas, como dos "homens-show" da Igreja, embora eu admita que eles façam um bom papel de aproximação. Mas deveriam incitar um aprofundamento, e isso não é feito. Por outro lado, há autores respeitados de quem nunca tinha ouvido falar. Um exemplo - perdoe a minha ignorância - foi Chesterton. Agora que sei que ele é confiável, estou buscando informações sobre seus livros, e foi assim que cheguei aqui. Agora tenho este blog também! Sou muito abençoada!

Karen disse...

(parte 3)
Peço perdão por estender este relato. Acho que as pessoas mais esclarecidas na fé, como as pessoas que frequentam e comentam aqui, muitas vezes não têm, ou perdem a noção de que a maior parte dos católicos permanece na penumbra, como eu estava há 4 anos atrás. Gostaria que refletissem sobre tantas pessoas que não têm sua casa sobre a rocha. Essas pessoas estão em grande parte, nas avenidas no último mês. Reclamar delas, não vai ajudar muito. É preciso dizer: “Ei, você é católico? Leia esse livro!”. “Você vai à missa? Leia o que o Papa João Paulo II escreveu sobre o Evangelho de hoje!”. Talvez a pessoa até entenda que a homilia não é o momento da missa em que você deve ir tomar água, cochilar ou dar aquela conferida no celular...

Se eu não tivesse um gosto muito grande por estudo, o quê poderia ter acontecido? Ter sido influenciada pelo protestantismo? Ter sido absorvida pelo cientificismo (Sou veterinária e trabalho com biologia molecular). Ter apostatado? (há 4 anos, eu nem sabia o que era apostatar). Ter sido impelida para o comunismo (fui de diretório acadêmico, mas era laico. Algo que me cheira a proteção divina. No entanto, senti na pele o clima vermelho das universidades)? Fiquei muito triste ontem, ao saber que uma parente minha entrou para um partido ateu. Gostaria que mais pessoas conhecessem os verdadeiros tesouros de Igreja.
Uso este espaço para parabenizá-lo não só por seu trabalho, mas por disponibilizar esse material tão rico na internet.

Que Deus abençoe e guarde os que constroem e colaboram com o blog.

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Cara Karen,
Salve Maria!

Deus lhe pague por suas palavras e por seu depoimento. Gostaria de publicá-lo, como um post em separado, se você me permitir.

Escreva-me quando quiser ou precisar. Inclua-me em suas orações.

Ad Iesum per Mariam.

Anônimo disse...

Olavo é o maior intelectual brasileiro vivo. Tirou da lama do pensamento esquerdista este que vos escreve. E em matéria de análise política e social, não tem outro igual. Quem na virada do ano 2000 diria que ACM perderia a relevância? ou que prognosticou a ascensão continental do Foro de São Paulo e a vitória de Lula? ou que quando Dilma era desconhecida do povão disse "vai ganhar fácil"? Pra quem não gosta dele: diferenças religiosas que você possa ter a parte, mas tem que dar o valor de que ele é um perspicaz analista social, por isso mesmo, capaz de fazer previsões com tanta certeza.

Ricardo2

Menelau disse...

Prezado Professor Angueth,

Salve Maria !

Foi através do Professor Olavo de Carvalho que conheci este maravilhoso blog. Ontem mesmo tive uma desavença com minha filha sobre a educação das crianças. Após a reportagem do Fantástico sobre os maus tratos das crianças que terminou com aquela horrível cena do menino com a língua cortada com a tesoura, a Globo entrou com uma enquete sobre a Lei da palmada. Para mim ficou claro que a intenção foi aproveitar a inércia das cenas chocantes para induzir o público a se manifestar positivamente ao projeto, sem uma análise mais profunda do seu conteúdo. Minha filha me disse que é contra bater em criança, mas eu argumentei que a própria bíblia fala sobre os benefícios do castigo:

Provérbios 13:24: “Quem poupa a vara não ama o seu filho; quem o ama, castiga-o na hora precisa.”

Provérbios 19:18: “Corrige teu filho enquanto há esperança, mas não te enfureças até fazê-lo perecer.”

Provérbios 22:15: “A loucura apega-se ao coração da criança; a vara da disciplina afastá-la-á dela.”
Provérbios 23:13-15: “Não poupes ao menino a correção: se tu o castigares com a vara, ele não morrerá, castigando-o com a vara, salvarás sua vida da morada dos mortos. Meu filho, se o teu espírito for sábio, meu coração alegrar-se-á contigo!”

O problema é que as gerações atuais tem a chamada "opinião própria". Em Outras palavras, não interessa o que disseram os antigos, não interessa a experiência dos pais e avós. Interessa a própria opinião, que na realidade está longe de ser própria, pois espelha apenas os interesses dos poderes globalistas.

Essa visão toda eu tenho pelas leituras do Professo Olavo de Carvalho com a ajuda de importantes blogs como é o caso do Sr.

grande abraço

Paulo disse...

OUVIREM Olavo de Carvalho e pe Paulo Ricardo e começarem a rejeitar o PT: o quanto bastaria!

Anônimo disse...

Caro Prof. Angueth,

Acompanho seu blog já há algum tempo e lhe agradeço por seu grande trabalho!

Sempre que posso leio os artigos e vejo os vídeos do Prof. Olavo de Carvalho também. Concordo com 95% de suas idéias, porém, em minha humilde visão, há pontos em que ele se distância da Tradição Católica, quando, por exemplo, defende abertamente o liberalismo.

O que o senhor pensa de tais questões? O senhor já leu o trabalho postado no site da Montfort que expõe vários pontos complicados do modernismo defendido pelo Prof. Olavo?

Um abraço e que Deus lhe abençoe neste grande trabalho que o sr. realiza.

Antonio Carlos de Almeida

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Caro Antônio Carlos,

Sim, nem tudo que ele fala eu concordo, nem acho que ele tem o objetivo de que todos concordem com tudo. O importante é a ação do seu pensamento como detergente intelectual para nós outros.

Um abraço.