terça-feira, março 10, 2015

Os católicos não somos nem de direita nem de esquerda

Nestes dias tumultuados no Brasil, muita coisa está se passando sob as denominações de direita e esquerda, como se elas diferenciassem as pessoas substancialmente. Não diferenciam! A confusão que o Concílio Vaticano II introduziu na Igreja faz as pessoas pensarem que todo o católico deve ser de direita, ou de esquerda, segundo uns e outros. Há quem afirme até que o liberalismo é algo de direita, opondo-se ao marxismo que seria de esquerda. Há muitos que tentam nos provar que liberalismo é algo aceitável dentro do catolicismo. Não é, e o Papa Leão XIII já provou isso em pelo menos duas Encíclicas; Libertas e Rerum Novarum. Ademais, Dom Sarda y Salvani já mostrou, com todas as letras que "Liberalismo é Pecado"!

Mas quero compartilhar com os leitores um texto muito elucidativo do Prof. Orlando Fedeli: Direitas e Esquerdas. Prof. Orlando explica direitinho toda a coisa e porque direitistas e esquerdistas são irmãos siameses. Não somos nem de direita nem de esquerda, somos católicos!


4 comentários:

Felipe Campello disse...

Olá, tudo bom?

Defino-me como Católico Romano e Conservador-liberal, adotando o Liberalismo apenas em seu caráter estritamente econômico.

Gostaria de saber do senhor, como fazer para um jovem aluno nos dias de hoje exercer sua personalidade e suas convicções dentro de uma Faculdade? Estudo Direito e, tendo em vista o caráter Modernista, Positivista, Marxista, Relativista, enfim, dessas ideologias, como fazer para sair vivo e não ser amordaçado, marginalizado e até martirizado num ambiente desses?

Aguardo seu comentário e fique com Deus.

Felipe.

Rodrigo disse...

Professor, realmente é complicado falar em direita, que pode incluir tanto conservadores quanto liberais clássicos quanto libertários. Agora, não há nenhum problema em um católico ser conservador (que não é uma ideologia, é mais uma conduta), desde que o conservadorismo não seja um fim em si mesmo.

Rodrigo disse...

Professor, ainda neste assunto eu indico a leitura de um artigo do padre João Batista de A. Prado Ferraz Costa. Vide em:
http://www.ofielcatolico.com.br/2005/03/renunciar-politica.html
Principalmente no seguinte trecho:
"Em suma, ao eventual leitor católico destas mal traçadas linhas digo apenas que é um equívoco primário pensar que em nossos dias não se deve lutar contra o esquerdismo político difuso em todo Ocidente porque a direita seria a outra mão da mesma força política oculta, que manipularia todo o jogo de cartas marcadas pela maçonaria. É um equívoco, entre outras razões, porque a direita é um termo ambíguo que abarca ideários políticos diferentes, adaptados às circunstâncias as mais diversas. No entanto, à medida que serve de reação à anarquia promovida pelo marxismo cultural que corrompe nossa juventude a “direita” merece nosso apoio prudente."

Anônimo disse...

Prezado Professor Angueth,
Salve Maria!

Não pensas que este seria um bom tema para uma palestra sua depois da missa?

Um grande abraço,
Samuel Mendes.