terça-feira, julho 01, 2014

Est enim calix Sanguinis Mei


Omnípotens sempítérne Deus, quí unígénítum Fílíum tuum mundí Redemptórem constituístí, ac ejus Sánguine placári voluístí: concéde, quaésumus, salútís nostrae prétíum solémní cultu íta venerarí, atque a preeséntís vítae malís ejus vírtúte deféndí in terrís; ut fructu perpétuo laetémur ín caelís. Per eúndem D. N.
 
Ó Deus, onipotente e eterno, que constituístes vosso Filho Unigênito, Redentor do mundo, e quisestes ser aplacado por seu Sangue, concedei veneremos com um culto solene o preço de nossa salvação, e por sua força achemos neste mundo uma defesa contra os males na terra, de sorte a merecermos gozar eternamente de seus frutos no céu. Pelo mesmo J . C.

3 comentários:

Nik disse...

Professor, bom dia. Tenho sentido falta, nos últimos meses, de suas postagens, que por qualquer motivo se tornaram menos frequentes. Percebo todavia, que têm crescido o número de posts nos últimos dias, e fico feliz por isso. Que esteja tudo em paz com o senhor e todos os seus. Mas, escrevo para perguntar sobre a ilustração deste post, que desconheço e, para estar aqui, deve ter uma origem que é muito mais elevada que a simplicidade dos seus traços. Do que se trata? Abraço, Nik.

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Caro Nik,
Salve Maria!

A ilustração foi retirada de meu Missal e representa o Cálice do Sangue de Nosso Senhor.

Ad Iesum per Mariam.

Nik disse...

Grato pela atenção, Professor. Só o incomodei com a pergunta por achar que, escolhida por ti, teria uma autoria ou origem especial, como é o caso. Abraço e PAZ!