terça-feira, junho 17, 2014

Teoria da conspiração ou as três concupiscências: blog responde a um leitor.


Não aguento mais teorias da conspiração. Não aguento mais ouvir falar em Nova Ordem Mundial, Escola de Frankfurt, Estratégia Gramsciana, etc. Qual o poder real de milionários de fraque e cartola, reunidos em hotéis 5 estrelas para decidirem o destino do planeta? Ou de membros de seitas secretas, vestindo túnicas e capuz cônico perfurado nos olhos e nariz? Por que os serviços de inteligência dos EUA não identificam NUNCA os milhares de agentes do serviço secreto russo (antiga KGB) infiltrados aqui no ocidente? Estarão só preocupados com revolucionários wasp’s, barbudinhos, loiros, de olhos azuis? Onde estão os serviços de inteligência europeus? Decadência cultural, perda da moral e da religiosidade? Culpa de intelectuais gramscianos infiltrados nas escolas, nas igrejas, mídia, e outras instituições? Mas e a NOSSA RESPONSABILIDADE? Por que deixamos que tudo isso acontecesse? Não seria mais culpa de nosso conformismo e espírito consumista/hedonista, que se difundiu POR TODO O PLANETA? A Igreja está sendo pervertida desde dentro? Por que deixamos? Vá em uma reunião da Torcida Organizada do Flamengo ou do Coríntias, e fale mal do time. Você será, literalmente picado e jogado na privada. Por que não fizemos o mesmo? “Ora, para que brigar? Vamos conversar! E além disso, hoje tem churrasco lá em casa.” Ou “Preciso cuidar dos detalhes de minha próxima viagem para a Disney...” - Robson di Cola

Caro Robson,
 
Não estou certo de ter entendido seu comentário. Entendo sua indignação, sua estupefação, mas se entendi seu raciocínio, penso que você erra muito o alvo. A pergunta “Culpa de intelectuais gramscianos infiltrados nas escolas, nas igrejas, mídia, e outras instituições? Mas e a NOSSA RESPONSABILIDADE?” mostra a confusão que você está fazendo. A doutrinação cultural determina o que pensamos e fazemos, inclusive o que consideramos ser ou não nossa responsabilidade.
 
Outra coisa: “o espírito consumista/hedonista” se difunde pelo planeta justamente por causa da “Glamourização da confusão, idealização da perversão e romantização da rebelião metafísica”, postos em termos mais gerais.
 
Só há uma arma contra tudo isso e ela é exatamente a Igreja Católica Apostólica Romana.
 
São João nos adverte: Omne quod est in mundo concupiscentia carnis esta et concupiscentia oculorum e supervia vitae [Tudo o que há no mundo é concupiscência da cara, concupiscência dos olhos e soberba da vida.] (1 Jo 2, 16). É por estes meios que o espírito consumista/hedonista entra em nossos corações. Utilizando-se outras palavras, artigo de Jeffrey Nyquist nos adverte contra isso.
 
A Sagrada Doutrina Católica (Ver Compêndio de Teologia Ascética e Mística, Pe. Adolph Tanquerey, Cap. II, §193-209) nos ensina que
  • a concupiscência da carne é o amor desordenado dos prazeres dos sentidos,
  • a concupiscência dos olhos se compõe da curiosidade doentia e do amor desordenado dos bens da terra,
  • e a soberba da vida (também chamada de concupiscência do espírito) é uma depravação profunda, pois por meio dela, o homem, entregue a si mesmo, considera-se como o seu próprio Deus, pelo excesso de seu amor próprio.
Aqui, a terceira concupiscência é exatamente o que Nyquist chama de rebelião metafísica, uma revolta contra Deus; é o non serviam de Lúcifer.
 
Então, caro Robson, a conspiração está sendo urdida desde há muito tempo. Os poderes do mundo, detidos por quem quer que seja, no fundo são detidos por quem primeiro disse o non serviam a Deus. O Pecado Original, causa das três concupiscências, nos expõe perigosamente a este poderoso inimigo e só Nosso Senhor e Sua Mãe Santíssima pode dele nos proteger.

6 comentários:

Anônimo disse...

Caro Angueth, não somos vítimas. Somos culpados. Segunda feira passada assisti o programa ao vivo do Padre Paulo Ricardo. Mais conspirações. Um monte de indicações de livros denunciando uma estratégica associação de capitalista e marxistas visando o controle populacional, através da destruição da família. Falaram de livros que 99,99% da população mundial jamais irá ler. Mas o que nos diz o mundo real? O mundo real que toneladas de livros à nossa frente nos impedem de enxergar? Nos iludindo com teorias, teorias, e mais teorias? Destruição da família? Nós a destruímos. As famílias pobres rejeitaram o casamento? A Nova Ordem Mundial alcançou seus objetivos? Claro que não. Hoje, temos milhões de filhos (adorados ou rejeitados) de mães solteiras. Algo deu errado. Quem pode combater o sagrado impulso da maternidade? Igreja Católica, traga essas mães e pais para seus braços. Case-os perante Nosso Senhor. Mas e as “peruas” que adotam uma carreira profissional altamente lucrativa, vivendo “relacionamentos” até os 35 anos, quando então se casam e engravidam, com a ajuda da tecnologia médica? Não é isso que acontece na Europa, nos EUA, em países de população decrescente? Em países prósperos? “Para que ter um monte de filhos? Quero ir para as Ilhas Gregas, não quero trocar fraldas fedidas de merda! Nas horas vagas, na internet, culpo Gramsci pela decadência de nossa civilização.”. Outras “vítimas” dessas conspirações pensam: “Destruir a família? Eu topo! Não aguento mais a véia da minha mulher. A telefonista de 19 anos lá do escritório tá dando em cima de mim!”.
A elite bilionária fabiana (Big Business) está em conluio com ONG’s marxistas e libertárias, visando o controle total e secreto de toda a sociedade? Bobagem. Trabalhei em grandes corporações. O que descobri? Que o mundo é mais simples do que pensam os teóricos da conspiração. Capitalistas querem apenas encher os bolsos de dinheiro. Fechar o mês “no azul”. Apenas isso. Mas e as doações conspiratórias para ONG’s socialistas ou progressistas? Provavelmente as fazem para calarem suas bocas. Ou para atenuarem seus palavrões. Ou parecerem moderninhos e progressistas. Money makes the world go round. Se um dia Satanás decidir realizar uma reforma no sistema de aquecimento central do Inferno, algumas grandes corporações apresentarão propostas high tech. Sou contra a livre iniciativa? Não. Sou contra esta atual, que nos escraviza. Olavo de Carvalho! Padre Paulo Ricardo! Angueth! Saiam de suas bibliotecas por um instante! Fechem os livros que estão lendo! Abram as janelas de suas casas. Vejam o mundo real! Existem forças organizadas que querem atacar e destruir nossa Igreja, nossas tradições? Querem promover o igualitarismo revolucionário? Façamos com amor, aquilo que os revolucionários estão tentando fazer com raiva! É a caridade. Querem perverter nosso comportamento, nossos pensamentos? Digam NÃO! Eduquemos os nossos filhos! Será que precisamos necessariamente “estudar e entender” este plano, para então um dia, quem sabe, podermos combatê-lo? O combate pode ser feito HOJE. Basta fugirmos dos 7 Pecados Capitais, e cumprir os 10 Mandamentos! Cabem em uma página... Deus me ajude! E me perdoe!Robson di Cola

Junior Ribeiro disse...

Muito ajuda na vitoria contra os tres espiritos (usando uma termo cunhado pelos Padres do Deserto) a meditaçao da Tentaçao do Deserto (S.Mateus 4,1-11; S.Marcos 1,12-13 e S.Lucas 4, 1-13) onde Nosso Senhor venceu as tres tentaçoes impostas pelo Demonio, sendo cada uma, um espirito.

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Caro Robson,

Você está muito errado, em quase tudo, mas o seu maior erro é querer lutar contra um inimigo que você não conhece. Se você rejeita as fontes escritas que fala sobre ele, não há o que fazer. A observação direta do mundo nada diz a quem nada sabe. Ou seja, a pior coisa que alguém, sobretudo um católico, pode fazer agora é "fechar os livros e abrir as janelas".

Ad Iesum per Mariam.

Anônimo disse...

Angueth, não precisamos lutar contra esses agentes conspiradores. VAMOS DEIXÁ-LOS FALANDO SOZINHO. Está é minha proposta. Já o segundo inimigo da nossa fé, precisa ser combatido: onde estão? Vamos até o espelho e olhemos para ele. Somos nós, pervertidos por esse mundo da prosperidade, do conforto, da sensualidade.Robson di Cola

Anônimo disse...

Tudo bem, é hora de abrir os livros. Mas os livros com as biografias dos santos. Neste momento em que vivemos, e em que vive a nossa Igreja, precisamos de inspiração. E não da razão. Precisamos dos crentes fiéis e iluminados que nos fizeram rir e chorar, praticando um amor extremo a Cristo. E não dos idiotas pretensiosos da academia. Precisamos encher o planeta de fé, vocação, e santidade. Precisamos de missas, procissões, e não de teses sociológicas. Fico pensando em um hipotético encontro entre Herbert Marcuse – o diabólico conspirador, temido pela nossa “elite pensante” - e o Santo Padre Pio de Pietrelcina. O santo homem, após ouvir as suas argumentações tediosas, soltaria uma irreverente gargalhada. E talvez, um arroto. Em seguida, voltaria para sua igreja e praticaria mais um de seus milagres. E é o que basta.Robson di Cola

Anônimo disse...

Um dos problemas atuais de os erros proliferarem está na deficiência de saber ser um antirelativista!
Tempos atrás, em visita a Contagem-MG, fui surpreendido numa S Missa celebrada por Pe Gustavo: à porta, havia um aviso ilustrativo de como mulheres devem vir à Igreja, sem roupas provocantes e na homilia, versou também no caso dos 2ª união e disse: estão em pecado grave, amasiados, se morrerem nesse estado - inferno!
E estendeu com mais assuntos dessa forma, todos paralisados nessa hora e ressaltou similares pecados, e na hora da S Comunhão mais um aviso: moças, senhoras decotadas e similares não devem comparecer à S Comunhão!
A coisa está assim, prof., é por falta de sacerdotes desse tipo, desbancando o pecado e combatendo o relativismo, sem essa dessa religião que rola por aí dos padres "fabiomelistas" e congêneres do "respeito", do "não discriminar" etc., aditivada de "brandura, ternura, doçura e mais "uras", mas que na verdade não passa uma sutil apostasia; facilitaria o aparecimento de leigos que mais parecem à deriva na fé, presas fáceis das relativistas seitas protestantes ou ideologias!
Anônimo Henoc