quinta-feira, agosto 28, 2008

Candidatos, meu voto está à venda!

Como todos sabem, época de eleição é um bom momento para vendermos o voto. Tentando dar um bom exemplo a meus filhos, estou eu aqui a anunciar que meu voto está à venda.

Acautelem-se, contudo, os candidatos afoitos. Meu voto é muito caro. Eu disse muito caro. Não é qualquer depósito em conta no exterior que vai levando meu voto. Não é qualquer mensalão que vai me enganar.

Meu voto irá para o candidato que depositar na Caixa .... de correio lá de casa, uma declaração assinada e com firma reconhecida, com as seguintes afirmações (que devem também constar da propaganda do candidato no rádio e na televisão):

1. O fundamento moral de minhas ações de candidato eleito serão os Dez Mandamentos da Lei de Deus.

2. Caridade é virtude individual. Quando o governo se mete a fazer caridade com o dinheiro público é sinal de vagabundo pondo a mão no salário do trabalhador.

3. Todo cidadão tem o direito de defender a si e a sua família de criminosos e assassinos, inclusive com arma em punho. Porte de arma para o cidadão comum é fundamento da democracia.

4. Todo cidadão tem o direito a educar seus filhos segundo seus próprios valores. Educar o filho em casa é um direito básico da cidadania.

5. A escola, pública ou privada, não tem o direito de doutrinar nossos filhos. Eles têm o direito de receber uma educação baseada na verdade e nos valores da Civilização Ocidental.

6. Lugar de criminoso é na cadeia e cadeia não é colônia de férias.

7. Crimes hediondos devem ser punidos com a pena de morte.

8. ONG significa Organização Não Governamental, portanto nada de dinheiro público financiando esse tipo de organização.

9. Sou a favor de “programas de redução da mortalidade infantil”, por isso sou contra o aborto.

10. Sou favorável à “preservação das espécies em extinção”, por isso sou contra a matança generalizada de cristãos em países comunistas e islâmicos.

Esse é o preço mínimo que estou cobrando dos candidatos que desejarem o meu voto. Se quiserem pagar mais, podem adicionar itens ao decálogo acima. Por exemplo, quem afirmar que existem verdades absolutas, pois ninguém consegue negar isso sem uma afirmação autocontraditória, ganha muitos pontos no meu conceito. Quem fizer algum comentário a respeito da prova tomista, em cinco vias, da existência de Deus, ganha minha mais profunda admiração. Mas basta o decálogo, para ser um candidato de minha predileção.

3 comentários:

Pablo Henrique disse...

Aos meus olhos, é quase perfeito. Eu faria, entretanto, correções nos itens 6 e 7. Cadeia não é colônia de férias, realmente, mas não podemos tratar qualquer ser humano - nosso irmão, por pior que seja - como animais de um circo de horrores. Algumas cadeias que visitei me causaram dó dos que lá estavam, mas me causaram mais dó ainda de mim mesmo, de saber que eu faço parte de uma sociedade que permite aquilo. Quanto à pena de morte, bem, a regra de que quem dá a vida é só quem pode tirá-la deve ser radical, até o limite. A exceção está na legítima defesa, porque martírio compulsório é coisa que não pode existir. No mais, estou de integral acordo.

Abs.

João Batista disse...

Ou seja: seu voto será branco.

Evandro disse...

Prezado Antônio, salve Maria!

Concordo em número, gênero e grau!
Legítima defesa sim, do cidadão particular e da sociedade, até o Catecismo da Igreja Católica (1992) reconhece isso!
Pena de morte sim para os que cometem crimes hediondos (tais como estupro, assassinatos em série e tráfico de drogas, por exemplo).