sexta-feira, agosto 16, 2019

Et sine dolore non vivitur in amore!


Na sua extraordinária biografia de Santa Margarida Maria Alacoque (Histoire de la bienheureuse Marguerite-Marie : et des origines de la devotion au coeur de Jésus), Revmo. Pe. Émile Bougaud, Bispo de Laval, descrevendo as várias formas em que o Sacratíssimo Coração de Jesus aparecia à Santa Margarida, ele observa que muitas vezes o Sagrado Coração aparecia rodeado de uma corôa de espinhos ou traspassado por flechas. Depois de citar uma passagem da Imitação de Cristo (Et sine dolore non vivitur in amore!, E sem dor não há amor.), ele acrescentar uma bela e profunda página de meditação sobre nossa condição de queda, "nessa triste terra". O trecho encerra um grande mistério de nossa Santa Religião. Esclarece também o que vemos na vida dos santos: um sofrimento atroz, às vezes auto-imposto, convivendo com uma alegria contagiante. Ei-lo.

Coisa admirável! Há no coração dois pólos: aquele pelo qual desfrutamos e aquele pelo qual sofremos. Desses dois pólos, um é feito para durar para sempre, que levaremos conosco para a eternidade; é aquele pelo qual desfrutamos. Mas quem nele acreditaria? Aqui embaixo, sobre esta triste terra, raramente o usamos. Ele é perigoso; não é nem grande nem fecundo. Se vós aspireis à glória, ao gênio, à santidade, deixais de lado esse pólo do coração, esse pólo divino, esse pólo celeste, pelo qual se desfruta. Sua hora ainda não chegou. Ele não realiza aqui embaixo senão coisas vulgares. A corôa de louros sempre repousou sobre frontes mortificadas, e a auréola de santidade nunca circundou senão corações crucificados. Que belas são então essas visões do Coração ferido, do Coração perfurado, de um Coração coroado e sangrando!

6 comentários:

Verginia Benedectto disse...

Sr.Angueth, Estava preocupada pela ausência de artigos, desde Março com a postagem sobre SÃO JOSÉ // Feliz retorno - e com excelente e intrigante postagem - por enquanto só li uma vez - mas vou reler e reler .. tentando entender melhor essa colocação sobre DOIS POLOS em cada coração. Um trecho tão pequeno do livro - mas é suficiente para boas horas de meditação. Muito obrigada e boa semana !! Verginia Benedectto / SP 19 ago 13:28h

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Cara Vergínia, Deus lhe pague pelo comentário. Vou procurar voltar aos poucos ao blog. Quanto ao comentário, o trecho é para guardar mesmo, para muitas meditações. Estou planejando fazer um ou dois vídeos sobre Santa Margarida Maria Alacoque, no meu canal. Reze por mim.

Anônimo disse...

Boa noite professor Angueth, Salve Maria!

Pelos comentários o senhor esteve ausente por algum tempo, espero que estejas bem de saúde.

Se não for pedir muito, gostaria de uma indicação do senhor referente uma obra sobre o Bispo de Olinda no Brasil Imperial, Dom Vital. O principal livro sobre ele e sua luta é quase raro. No site do mercado livre há um, mas o preço é caríssimo. O senhor pode me ajudar nesse sentido?

In Christi,

Eduardo

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Caro Eduardo, salve Maria!

No site Alexandria Católica há uma biografica de Dom Vital e um livro dele sobre a Maçonaria. Não sei se você se refere a um livro específico. Mas fica aqui o link dos dois livros:

http://alexandriacatolica.blogspot.com/2011/07/maconaria-e-os-jesuitas-instrucao.html

Com Deus!

Anônimo disse...

Boa noite. SM!
Estava me referindo a um livro impresso, mas agradeço pela gentileza.
In Christi
Eduardo

Thiago Parreiras disse...

Professor Angueth,

Belíssimo texto! Que agradável vê-lo de volta ao blog! Espero que retorne ao YouTube também.

Deus lhe proteja sempre!

Salve Maria!