quarta-feira, março 01, 2017

Palavras do último sermão de Pe. Faber: Quaresma de 1863

"A pior e mais fatal preparação do demônio para a vinda do Anticristo é o enfraquecimento no homem da crença na punição eterna. Fossem estas as últimas palavras que devesse dirigir a vocês, nada eu diria com mais ênfase que isto: que depois do pensamento acerca do Precioso Sangue, não há outro, em toda a nossa Fé, que lhes seja mais precioso e mais necessário que o pensamento acerca da punição eterna"

2 comentários:

Flávio Dornelles disse...

Pois é Antonio,isso é algo que me preocupa muito,pois em geral percebo que as pessoas se acham boas;não matei e roubei,sou um bom filho e meus amigos me consideram um bom amigo.

É um ótimo tema para uma futura palestra;e diria mais;é essencial de se abordar esse tema hoje em dia.

Na homilia de quarta-feira de cinzas gostei muito quando o padre disse,com ênfase: "NÓS SOMOS MAUS".

abraço.

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Pois é, meu caro Flávio, estes são os homens de bem a que se referiu Chesterton. Você entende agora a ironia do grande católico inglês.