quinta-feira, novembro 13, 2014

O pecado de Marx foi o mesmo de Lúcifer, de quem era adorador.

Segue poesia (em tradução livre) infame, mas reveladora, do mentor de quem nos governa. Note que ele tem sido altamente eficiente no que propôs.


Com desdém desferirei um direto
Na cara do mundo,
E verei o colapso deste gigante pigmeu
Cuja queda não atenuará meu ardor.
Então, caminharei como um deus vitorioso
por entre as ruínas do mundo
dando força ativa às minhas palavras,
e me igualarei ao Criador.
     - Karl Marx

2 comentários:

Glaucio Alves disse...

Muito prezado professor,

Poderia dar as referências do poema?


Pax.

Antônio Emílio Angueth de Araújo disse...

Caro Glaucio, este e muitos outros versos você pode encontrar, por exemplo, aqui: http://www.abovetopsecret.com/forum/thread880821/pg1