segunda-feira, outubro 23, 2006

Carta de um leitor (ao MSM) sobre meu artigo logo abaixo

Trecho do artigo Lei da caridade cristã revogada em B.H.

enviada em 20/10/2006

Olá, gostaria de dirigir este email ao professor Antônio Emílio A. de Araújo, autor do artigo citado no assunto acima. Segue o trecho:"Ele deve aprender balé, dança flamenca, teatro, etc. Assim, quando ele crescer, ele vai ser um grande artista. Porque você sabe, né?, todo mundo deve ser artista no Brasil. Não vê o exemplo do Gilberto Gil. Ele é artista. Não sabe se expressar, não fala coisa com coisa, e chegou a ministro. ". Concordo em suma com o artigo, porém acho que neste trecho o senhor talvez tenha ferido o papel de um artista como profissão. Sei que no Brasil os que optam por seguir a carreira artística não recebem o devido valor, por isso venho por meio deste pedir uma maior valorização dos mesmos.Tenho apenas 16 anos, e já pensei em seguir a carreira artística, mas mesmo não tendo mais esta idéia em mente, luto fervorosamente por uma valorização da arte no Brasil.Como já disse tenho apenas 16 anos, acredito que tenho muito que aprender ainda, desculpe se o interpretei de forma errada. Desde já meu muito obrigado, pela atenção e compreensão. E meus parabéns por todo conteúdo do site, que mostra a mídia como deveria ser, sem as distorções provocadas pela ganância de muitos empresários que vendem e compram "verdades" todos os dias.
Aguardo sua resposta.Renan Carletti

Caro Renan,

Não foi minha intenção falar mal da classe artística em particular e nem da arte em geral. Concordo com Thomas Merton quando ele diz: "A mente que reage aos valores intelectuais e espirituais ocultos num poema, numa pintura, ou numa peça musical, descobre uma vitalidade que a levanta acima de si mesma, que a tira fora de si mesma em um nível de ser que ela não se sabia capaz jamais de atingir."Se mencionei artistas, foram os tagarelas, mal intencionados e completamente descomprometidos com a própria arte. São os membros do Imbecil Coletivo olaviano.Critiquei também a idéia de que o jovem pobre e marginalizado só precise de aulas de algum arremedo de arte para se salvar da pobreza e da marginalidade. Há valores, como o trabalho, como a responsabilidade pela própria vida, como almejar ter uma profissão, que são muito mais importantes para este jovem, no estado em que ele se encontra. Esses são os valores que o afastarão do crime, da droga e o direcionarão a uma vida melhor, o tirarão enfim da marginalidade.

Quanto a lutar para a valorização da arte no Brasil, essa é uma luta nobre. A arte só pode ser valorizada por um povo minimamente são. Infelizmente, o povo brasileiro está doente e de uma doença que o impede a alçar os vôos promovidos pela arte verdadeira. A cultura superior se extinguiu no Brasil e sem ela não há apreciação artística em nenhum grau. O Mídia Sem Máscara é um sítio que luta bravamente contra essa doença e ter leitores como você, certamente, gratifica a todos que dirigem o sítio. Portanto, todos os créditos aos editores do MSM!

Um abraço.

Antonio Emilio Angueth de Araujo

Nenhum comentário: